Mapeamento de comunidades tradicionais “invisíveis” para apoiar a conservação do Cerrado no Brasil

 

Direção estratégica 2: Apoiar a criação/expansão e a gestão eficaz das áreas protegidas

Instituição: Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia – IPAM

Instituições parceiras: Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN); UnB; UFG-LAPIG; CI-Brasil e Rede Cerrado

Responsável: Ane Auxiliadora Costa Alencar
E-mail:  ane@ipam.org.br
Telefones: + 55 (61) 2109-4150 / 2196-0942

Corredor prioritário: Central de MATOPIBA; Veadeiros- Pouso Alto-Kalungas; Sertão Veredas-Peruaçu e Mirador-Mesas
Municípios: Todos os municípios dos corredores prioritários
Áreas protegidas: 31 UCs localizadas dentro dos corredores prioritários

Objetivo geral: Identificar e mapear áreas de relevância social e ambiental para a conservação do Cerrado.

Objetivos específicos:

  • Consolidar um banco de dados espaciais sobre comunidades tradicionais e mapear as comunidades tradicionais “invisíveis” nas regiões prioritárias.
  • Identificar e mapear áreas críticas e de potencial de perda de habitat natural (desmatamento), que estão e irão afetar as comunidades tradicionais nos corredores prioritários.
  • Desenvolver uma estratégia de comunicação para disseminar os resultados para comunidades locais, governos e sociedade civil e envolver as comunidades tradicionais no uso dessa informação.

Valor do apoio: U$ 300.000,00

Duração: 24 meses (Julho 2018 a Junho 2020)

 

Imagens cedidas pelo IPAM e ISPN

 

 ©Isabel Figueiredo / ISPN                                                         ©Thiago Foresti / IPAM