Início » Oficina sobre produção e comercialização dos produtos agroextrativistas do Cerrado

Oficina sobre produção e comercialização dos produtos agroextrativistas do Cerrado

O projeto Fortalecimento da Gestão Territorial Integral nas Áreas Especialmente Protegidas do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçuque é executado pelo WWF-Brasil e conta com apoio do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), tem o objetivo de atuar na integração e fortalecimento da gestão das áreas especialmente protegidas do Mosaico.

No intuito de ressaltar a importância do extrativismo sustentável dos produtos da sociobiodiversidade do Cerrado, prática tradicional já amplamente difundida no bioma e uma das principais alternativas para manter o “Cerrado em pé”, o WWF-Brasil em parceria com o Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), Cooperativa Central do Cerrado, com apoio do CEPF Cerrado e Instituto Internacional de Educação do Brasil, realizarão a Oficina de Produção e Comercialização de Produtos da Sociobiodiversidade do Cerrado.

A oficina visa identificar e dar visibilidade às contribuições de diferentes abordagens para o desenvolvimento das cadeias produtivas do Cerrado, com o objetivo de superar desafios e realizar articulação com o poder público, além de iniciar um processo de reflexão, troca de conhecimento e aprendizagem nos aspectos relacionados à “Produção e Comercialização” de produtos agroextrativistas. A oficina também será um espaço para organizar fóruns de discussão para integração com a programação do IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado.

 

Contatos:

kolbesantos@wwf.org.br

luis@centraldocerrado.org.br

rodrigo@ispn.org.br


O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Europeia, da Gestão Ambiental Global, do Governo do Japão e do Banco Mundial. Uma meta fundamental é garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *