Home » territorial management

Tag: gestão territorial

Cerrado: 31 Protected Areas Receive Action Plan by 2030

by Renata Peña, via WWF-Brasil

They are more than 3.5 million hectares of extreme beauty and diversity of plants, animals and medicinal herbs, as well as quilombola communities and indigenous lands. All this natural and socio-cultural richness is preserved in a set of 31 Protected Areas located in the Cerrado, between the north and northwest of Minas Gerais. THE Sertão Veredas Mosaic & #8211; Peruaçu has just received an action plan to foster sustainable development in this territory by 2030.

Peruaçu River, Januaria, MG. Photo: © André Dib / WWF-Brasil Collection

Starting next year, the Mosaic advisory council will seek to implement actions related to five main themes: integrated management, ecotourism, plant extraction, water conservation and sustainable agribusiness.

This means for example developing the agroecology with family farmers in the region - establishment of nurseries and backyards & #8211; empower residents of rural communities to strengthen existing plant extraction cooperatives and foster the creation of new ones; support brigade members in the fight against forest fires and further expand the potential of community-based tourism by training guides and drivers and creating new trails. THE Payment for Environmental Services (PSA) and the spring recovery degraded are two other guidelines of the action plan for the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic.

“The plan is essential so that the actions we have been developing for several years do not suffer a sudden stop with the change in the national political scenario. It is a motivation to be more innovative and to win more and more projects and initiatives that land in the local reality of the people and Mosaic Conservation Units ”, says WWF-Brazil conservation analyst Vinícius Pereira.

Serra das Araras Path. Photo: ©FUNATURA Collection

César Vitor do Espírito Santo, executive superintendent of the Pro-Nature Foundation (Funatura) explains that the plan also foresees the creation of a fund for the Mosaic. The funds raised would be used to implement the planned actions: “With this plan, we intend that the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic can be an inducer of sustainable development in the territory. A diverse and complex territory economically, socially and culturally. ”

For Joel Sirqueira, manager of the Peruaçu Valley Family and Extractive Farmers Cooperative (Cooperuaçu), an agro-extractive cooperative that has been supported by WWF-Brasil since its inception, the plan is an organized resource to continue conserving the Cerrado. “It directs in a planned and thoughtful way collectively, since everything was built together, the actions aimed at extractivism within the territory and especially for new ventures and cooperatives like Cooperuaçu, it is much more motivating to act when you have a document that helps leading the way forward, ”he says.

Janelão, Peruaçu Caves National Park. Photo: © FUNATURA Collection

The “Conservation Based Territorial Development Plan (DTBC)” was carried out by the Pró-Natureza Foundation (Funatura) with the support of the Critical Ecosystem Partnership Fund & CEPF Fund (#8211).

See the article in site from WWF-Brasil!

WWF-Brasil and the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic

WWF-Brasil has been operating in the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic region through the Sertões Project since 2010, and more recently, with support from the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) in actions focused on encouraging the implementation and integrated management of the conservation; strengthening of the productive chain of the fruits of the Cerrado; communication, aiming at the valorization and rescue of the Cerrado and territorial planning, which aims at systematic conservation planning in the Cerrado biome.

WWF-Brasil executes the project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic, which aims to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic. This project is supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Xavante Etenhiritipá Association starts project focused on governance and payment for environmental services

Foto: Aryanne Amaral/Acrevo IEB

No último dia 9 de julho, o diretor presidente da Associação Xavante Etenhiritipá (AXE), Jurandir Siridiwe e a pesquisadora Fernanda Viegas Reichardt, se reuniram em São Paulo com a Procuradora Regional da República da 3ª Região (4ª CCR/MPF) e Gerente do Projeto Conexão Água do Ministério Público Federal, Sandra Akemi Shimada Kishi.

A razão desse encontro foi dar início à governança e iniciar um diálogo formal com o Ministério Público Federal sobre os objetivos do projeto “Pagamento por Serviços Ambientais – PSA e a adoção de práticas sustentáveis que contribuam a qualidade, a quantidade e com o regime de vazão das águas das bacias hidrográficas Tocantins-Araguaia e Amazônica (Sub-bacia do Rio Xingu)”.

Neste encontro, a equipe discutiu a possbilidade de ampliação da área do projeto, como sugestão da Dra. Sandra, que incluiria as regiões conhecidas pelo povo Xavante como Sõrepré  e Wedezé. Sõrepré é território considerado como “berço da cultura Xavante”, localizado ao Norte da Terra Indígena (TI) Pimentel Barbosa, que ainda não foi homologado ou demarcado como Terra Indígena. Há uma hipótese de que esta seja uma área de recarga de aquífero, mas ainda não existem dados para comprovar. Wedezé é o local de nascimento de muitos Xavantes que hoje habitam a Aldeia Etenhiritipá. É território contíguo a TI Pimentel Barbosa, localizado na margem direita do Rio das Mortes. Atualmente, Wedezé encontra-se ocupado por propriedades rurais com áreas que variam de 600 hectares a 25 mil hectares.

Para Fernanda Reichardt, “este encontro foi uma conversa inicial, mas essencial para iniciarem a discussão da criação do plano de ação que atuará na governança e viabilização do PSA no território Xavante”.

Confira a entrevista do diretor presidente da Associação Xavante Etenhiritipá (AXE), Jurandir Siridiwe no programa Nação Futebol:


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Project supported by IEB and CEPF Cerrado participates in Brazil Environmental Management Forum 2019

O coordenador do projeto Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado, Luiz Paulo Pinto, da equipe da Ambiental Ltda., participou do Fórum Brasil de Gestão Ambiental 2019 (FBGA 2019), realizado nos dias 26 a 28 de junho, em Campinas, SP. O FBGA foi idealizado pela Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente – ANAMMA, para o encontro de organizações públicas das várias esferas de governo, organizações não governamentais e empresas privadas. O objetivo do evento é a discussão, troca de informações e de experiências sobre diversos temas relacionados à gestão ambiental, especialmente na esfera municipal.

A programação da segunda edição do FBGA contabilizou mais de 6.000 inscritos e 30 eventos simultâneos em três dias de evento com palestras, seminários, workshops, debates, treinamentos, câmaras técnicas, rodadas de negócios, exposições tecnológicas e feira de negócios. Foram cerca de 500 representantes dos municípios entre prefeitos, secretários e técnicos municipais. O evento contou ainda com membros da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Luiz Paulo Pinto participou de um dos painéis da sessão “Diálogos sobre Áreas Protegidas Locais – ofertas de informação e capacitação para municípios”, organizada pelo projeto “Áreas Protegidas Locais”, conhecido como APLocais. O propósito desse painel foi fazer uma reflexão sobre as necessidades de capacidades dos municípios para fortalecer a gestão de áreas protegidas locais e os possíveis apoios da cooperação técnica em nível local. Foram apresentados os resultados do projeto “Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado” apoiado pelo CEPF Cerrado, incluindo um relato sobre o curso de criação e implementação de unidades de conservação municipais do Cerrado, realizado em Goiânia, no início de abril desse ano.

Sessão do Projeto Áreas Protegidas Locais no Fórum Brasil de Gestão Ambiental 2019. Foto: ©Robson Khalaf / ICLEI América do Sul.

O APLocais é um projeto do Ministério do Meio Ambiente do Brasil, Ministério do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Colômbia, Ministério do Ambiente do Equador e Ministério do Ambiente do Peru. O Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha (BMU, sigla em alemão) apoia o projeto por meio da Iniciativa Internacional para o Clima (IKI, sigla em alemão). A implementação nos quatro países é realizada pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). O projeto tem como objetivo contribuir para fortalecer a gestão ambiental e a governança dos governos locais para a conservação da biodiversidade em unidades de conservação municipais e outras medidas de conservação. A Ambiental Ltda. it's the CEPF Cerrado fazem parte do Grupo de Acompanhamento do APLocais.

A sessão “Diálogos sobre Áreas Protegidas Locais” promoveu debates também sobre a adequação das unidades de conservação municipais, a lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), o intercâmbio sobre casos exitosos de gestão e mecanismos de financiamento para unidades de conservação municipais e o lançamento da segunda edição da Publicação “Roteiro de Criação de Unidades de Conservação Municipais”.

The project Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado tem o objetivo de avaliar o cenário das unidades de conservação municipais do Cerrado para o fortalecimento das políticas de proteção local da biodiversidade, especialmente nos corredores prioritários desse hot spot. Este projeto conta com apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

The 2nd National Protected Areas Mosaic Workshop is held in Brasilia

Começou hoje em Brasília o II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas, que segue até o dia 13 de junho reunindo alguns representantes dos mosaicos reconhecidos no país. Atualmente existem 25 mosaicos reconhecidos no Brasil, sendo 16 em âmbito federal e 9 em âmbito estadual. O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF Cerrado), com o apoio do International Institute of Education of Brazil aporta recursos para projetos de conservação na região do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, que está localizado na região norte de Minas Gerais.

O II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas tem o objetivo de contribuir para o intercâmbio, discussões conceituais, embasamento legal e proposição de diretrizes que visam ampliar os avanços dos instrumentos de gestão territorial voltado às áreas protegidas, na conservation e na promoção do desenvolvimento sustentável, além de traçar estratégias para atuação conjunta do poder público, sociedade civil e terceiro setor. O evento é organizado pela Rede de Mosaicos de Áreas Protegidas (REMAP), que visa unir esforços de indivíduos e organizações públicas, privadas e coletivas com fins de fortalecer as iniciativas de conservação da natureza e promoção de bem estar e qualidade de vida humana em territórios protegidos e seu entorno.  O encontro também conta com apoio do Instituto Internacional de Educação do Brasil (lEB)/CEPF Cerrado, WWF-Brasil, Fundação Vitória Amazônia (FVA), WCS-Brasil, Instituto, Sociedade, População e Sociedade (ISPN); Fundação Pró-Natura (FUNATURA), Instituto Biotrópicos, Conservação Internacional (CI), SOS Mata Atlântica, Imaflora, Projeto Terra-Mar e Rede Brasileira de Reservas da Biosfera, entre outros.

II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas. Foto: Claudia Sachetto/Acervo IEB

THE programação deste primeiro dia foi focada nos painéis, que envolveram temas como panorama geral sobre Mosaicos e reservas da Biosfera, uso dos recursos naturais, proteção integrada e oportunidades sociais. A partir de amanhã o encontro continua com alguns painéis de discussão,  trabalho em grupos temáticos por bioma e nas plenárias.

Mais informações nos sites do WWF-Brazil and Imaflora!

Anote aí:

II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas

Quando: De 11 a 13 de junho, a partir das 8h

Onde: Edifício ParlaMundi da LBV, Brasília

Quanto: Acesso gratuito


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Approved in Goiás the first internal regulation of a quilombo in Brazil

Iniciativa da Associação Quilombo Kalunga será modelo para outras comunidades quilombolas

por Associação Quilombo Kalunga

THE Quilombo Kalunga Association (AQK) finalizou em maio a elaboração do regimento interno, um projeto pioneiro em nível nacional. O regimento interno estabelece normas para a gestão ambiental e territorial do Kalunga Historical Site and Cultural Heritage (SHPCK), para o reconhecimento da ascendência e da remanescência Kalunga, e para a exploração do turismo no território. O SHPCK é considerado o maior território de quilombo no Brasil, com 261.999,69 hectares, e fica localizado na região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

Vilmar de Souza Costa faz a abertura da Assembleia de Representantes das Comunidades Kalunga para elaborar o Regimento Interno da Associação Quilombo Kalunga. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

De 18 de março a 12 de maio foram realizadas 14 assembleias, que envolveram todas as 39 comunidades Kalunga e contaram com a participação de mais de mil pessoas. Nestes encontros foram debatidos os pontos mais importantes que, no entendimento dos presentes, deveriam constar do regimento interno, sendo por eles eram votados e aprovados os conteúdos. Nestas assembleias também foi sendo amadurecida a criação de um Conselho de Representantes da AQK, um colegiado formado por três representantes de cada comunidade local e que passava a integrar a direção da Associação Quilombo Kalunga.

Nos dias 23 a 26 de maio foi realizada a Assembleia de Representantes eleitos nas reuniões das comunidades, na sede da Associação Kalunga de Cavalcante. Foram momentos de intensos debates de cada artigo e de cada parágrafo, sendo, ao final, aprovado.

De acordo com Vilmar Souza Costa, presidente da Associação Quilombo Kalunga, o regimento interno é de essencial importância para regulamentar as relações existentes dentro do território, sempre respeitando os costumes, os saberes e as tradições do povo Kalunga. “A criação do nosso regimento é mais uma demonstração da capacidade do povo Kalunga de se organizar, de defender e de gerir seu território. Construímos de forma coletiva e participativa as nossas próprias normas, que serão seguidas por todo o nosso povo”, afirma Costa.

Maria Aparecida Mato, diretora-executiva da CONAQ – Coordenação Nacional de Articulações das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Brasil – participou de uma das 14 assembleias e enalteceu a importância das normas e a cultura de um povo quilombola serem colocadas no papel, como uma prova escrita e concreta de tudo que está estabelecido. “Este é o primeiro quilombo do Brasil a criar um regimento interno. É um exemplo e um modelo que será seguido por várias outras comunidades quilombolas do Brasil”, revela.

Geoprocessamento e preservação nas assembleias

Outro tema das assembleias foi o projeto “Uso do Geoprocessamento na Gestão do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga – SHPCK”, fomentado pelo Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, da sigla em Inglês para Critical Ecosystem Partnership Fund) and with support from Brazilian International Institute of Education (IEB)O projeto tem como objetivos conhecer com profundidade a realidade das comunidades Kalunga, usar a tecnologia de geoprocessamento  para mapear detalhadamente o território, promover a ocupação do SHPCK de uma forma mais sustentável e fazer com que os Kalunga sejam reconhecidos internacionalmente como defensores da conservação da biodiversidade.

Representando o CEPF/IEB, Michael Jackson faz pronunciamento sobre a importância da organização do povo Kalunga para realizar a gestão ambiental e territorial. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

Desde janeiro está sendo feito o levantamento e o cadastro socioeconômico dos moradores do SHPCK, com a meta de participação de todas as 1,5 mil famílias quilombolas. Terminado o levantamento, será feita a associação dos levantamentos de campo com a base cartográfica e o mapeamento temático realizado por meio de geoprocessamento e sensoriamento remoto. Será feito também o levantamento cadastral das atividades de garimpo, retirada ilegal de madeira e pesca predatória, e dos atrativos turísticos.

As assembleias ainda tiveram como foco a mobilização das famílias quilombolas sobre a importância da conservação da biodiversidade em todo o território. Para isso, foram confeccionados 4 mil calendários, que foram entregues nas casas Kalunga, além de pessoas e de locais estratégicos dos municípios de Alto Paraíso, Cavalcante, Campos Belos, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás. Também foram confeccionados banners, fixados em todas as escolas municipais, estaduais e particulares nos cinco municípios.

De acordo com o levantamento prévio feito pela Associação, há 19 espécies localmente ameaçadas encontradas na região. As espécies-alvo de conservação foram priorizadas de acordo com o critério de grau de ameaça, focado em espécies que enfrentam risco extremamente elevado de extinction na natureza, exigindo ações urgentes de conservação.

Sobre a Associação Quilombo Kalunga

A Associação Quilombo Kalunga é uma organização civil, sem fins lucrativos e sem finalidade econômica, fundada em outubro de 1999. É constituída pelas Associações Kalunga de Cavalcante, de Monte Alegre, de Teresina e do Engenho II, além da Epotecampo. Ela representa o maior território de quilombo no Brasil, com 262 mil hectares de terras. A Associação promove a defesa de interesse de todas as comunidades formadas por moradores do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga (SHPCK), espalhados entre os municípios goianos de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás, e representá-las em todas as instâncias legais e administrativas.

Mais informações:

Telefone: (62) 3494-1062

Email: aqkalunga@gmail.com

Facebook gives Aqk.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Urban Municipal Conservation Units in the Cerrado

by Luiz Paulo Pinto, Environmental 44 Information and Projects on Biodiversity Ltda.

At municipal conservation units constitute one of the pillars of the strategies for biodiversity conservation of the Cerrado by playing a key role in connecting the natural landscape, protecting populations of native fauna and flora species, and maintaining essential environmental services for the population such as water supply, heatwave moderation, and providing spaces for recreation and recreation, just to name a few. At the same time, protected areas are getting closer to urban environments, and the strong pressure of the urbanization process and the needs of large city populations across the country amplify the challenges for reconciling biodiversity protection and development. urban infrastructure with its social, economic and environmental implications.

Course participants & #8220; Creation and management of urban municipal conservation units in Cerrado & #8221; in Goiânia (GO). Photo: Environmental Collection 44 Ltda.

For this, it is essential to have trained personnel in the creation and management of an integrated network of protected spaces maintained by municipalities. This was the purpose of the course. “Creation and Management of Cerrado Urban Conservation Units”, which took place in April, in Goiânia, GO. The conceptual, technical and legal aspects that underlie the planning and implementation of municipal conservation units, based on an integrated view of the territory and participatory management, were addressed. The training explored the main practical challenges of the process of setting up municipal conservation units in the urban and periurban context with a vision of the new agenda on biodiversity and sustainable cities. Participants included city and state managers, NGOs, self-employed professionals and members of the academy. The course was a partnership between Environmental 44 Information and Projects on Biodiversidade Ltda., MvB Consultores Associados Ltda. it's the Image Processing and Geoprocessing Laboratory (LAPIG), linked to the Institute of Social and Environmental Studies (IESA) of the Federal University of Goiás (UFG), and was taught by urban architect and environmentalist Miguel von Behr, master in urban and regional planning with extensive experience in conservation units in various regions of Brazil.

The initiative was supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, in English for Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB), the National Association of Municipalities of the Environment (ANAMMA), the Goiana Association of Municipalities (AGM), the Municipal Environment Agency of Goiânia, and the project “Protected Areas and other conservation measures based on areas at the government level. local ”. This initiative, also known as “Local Protected Areas” (https://www.giz.de/en/worldwide/69389.html) is a project of the Ministry of Environment (MMA) of Brazil, Ministry of Environment and Sustainable Development (MADS) of Colombia, Ministry of Environment (MAE) of Ecuador and Ministry of Environment (MINAM) of Peru. Germany's Federal Ministry of Environment, Nature Protection and Nuclear Safety (BMU) supports the project through the International Climate Initiative (IKI). Implementation in the four countries is carried out by Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbHby ICLEI & #8211; Local Governments for Sustainability and the International Union for Conservation of Nature (IUCN).

Knowing the Municipal Conservation Units

The course was part of the project “Evaluation and Strengthening of the Cerrado Municipal Conservation Units”, which aims to measure the representativeness and importance of municipal conservation units for the protection of biodiversity and environmental services in the Cerrado. Given that conservation takes place at the local scale, greater visibility of municipal protected areas can strengthen an official local protection agenda, highlighting and stimulating the development of capacities and financial resources to improve the effectiveness of existing units, and stimulate the expansion of the area and the number of protected spaces managed by the municipalities.

The project is supported and funded by CEPF Cerrado, which is a fund created to support biodiversity conservation actions and projects, especially by civil society organizations, in regions of high biological importance in the world. The Fund is partnered by international institutions - French Development Agency, International Conservation, European Union, Global Environment Fund (GEF), Government of Japan and World Bank. In Brazil, CEPF is implemented by the Brazilian International Institute of Education (IEB), a Brazilian institution dedicated to training and training people, as well as strengthening organizations in the areas of natural resource management, environmental and territorial management and other sustainability-related topics. To learn more about CEPF Cerrado, visit: http://cepfcerrado.iieb.org.br/

 

For more information:

Luiz Paulo Pinto, Environmental 44 Information and Projects on Biodiversity Ltda., E-mail: luizpaulopinto10@gmail.com; cel. (31) 98209-8989

Miguel von Behr, MvB Consultores Associados Ltda., E-mail: miguelvonbehr2@gmail.com; cel. (61) 99840-734

 

Ambiental 44 Information and Projects in Biodiversidade Ltda. - Company based in Belo Horizonte, MG, with the objective of providing services and technical advice on projects for creation, management and management of protected areas, regional planning for biodiversity conservation, training and social mobilization, among other topics related to conservation and sustainability. .

MvB Consultores Associados Ltda. - The company, based in Brasilia, DF, specializes in coordinating training courses for the management of protected areas throughout the country.

LAPIG (Laboratory of Image Processing and Geoprocessing) - Linked to the Institute of Social and Environmental Studies (IESA) of the Federal University of Goiás (UFG), since 1994 LAPIG offers disciplines of remote sensing, digital cartography and geographic information systems for different courses and institutes of UFG, besides having strong performance in research linked to teaching and extension activities.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

WWF-Brasil will promote course for creation of conservation and conflict management units of Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic

O WWF-Brasil no âmbito do projeto Strengthening of integral territorial management in the specially protected areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic irá promover o curso “Criação de unidades de conservação e gestão de conflitos nas áreas protegidas do Mosaico Sertão-Veredas Peruaçu”, entre os dias 21 e 24 de maio (2019) no SESC de Januária, Minas Gerais. A carga horária será de 24 horas.

O projeto que é executado pelo WWF-Brazil and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), Its purpose is to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic.

Na programação estão previstos aspectos conceituais sobre as conservation units, palestras sobre os conflitos pelo uso do território no Mosaico e uma visita técnica ao Parque Municipal Urbano Ecológico e Cultural Salustriano, em São João das Missões (MG).

Para mais informações, entre em contato com o WWF-Brazil!


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

Cerrado: territorial strategies and perspectives for the coming years

via Rede Cerrado

II Oficina de Territórios da Rede Cerrado contará com representantes de povos e comunidades tradicionais do Bioma que farão diálogo direto com governo e Ministério Público Federal

Em continuidade ao processo de debates sobre os direitos territoriais de povos e comunidades tradicionais iniciado no ano passado, nos próximos dias 08 e 09 de maio, a Rede Cerrado reunirá representantes de indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, geraizeiros, raizeiras, extratvisitas, entre outros povos tradicionais do Bioma, em Brasília (DF), para diálogo direto com o governo e Ministério Público Federal para debater perspectivas e traçar estratégicas conjuntas para os próximos anos.

Se em 2018 os diálogos deram luz a novas formas para a garantia desses territórios, agora estratégias serão pensadas e traçadas frente a conjuntura já estabelecida pela atual gestão federal.

O Cerrado, além de ser, atualmente, o Bioma mais ameaçado do Brasil, de acordo com dados do Caderno de Conflitos do Campo 2018, da Comissão Pastoral da Terra, foi a região que mais sofreu com a expulsão de famílias do campo. O aumento registrado de 2017 para 2018 foi de mais de 14 mil por cento.

Mesa de Diálogos com governo federal e MPF

Como parte da programação da II Oficina de Territórios da Rede Cerrado, na próxima quarta-feira, dia 08 de maio, ocorrerá uma mesa de diálogos com representantes da atual gestão do governo federal referente a temas, como: regularização dos territórios, políticas públicas e extinção das instâncias de participação social.

Além de representantes de povos e comunidades tradicionais do Cerrado, o ato contará com a presença e participação do professor e pesquisador Alfredo Wagner, de representantes da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF), e da procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat.

A atividade, intitulada como Mesa de Diálogos sobre Territórios Tradicionalmente Ocupados é ação conjunta entre a Rede Cerrado, o Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT) e o Ministério Público Federal, em conjunto com a Articulação em Defesa das Terras Tradicionalmente Ocupadas. A atividade será transmitida ao vivo pela TV MPF.

Já na quinta-feira, dia 09, os trabalhos continuam no Instituto Divino Mestre, também em Brasília, com o objetivo de integrar ações e fortalecer estratégias conjuntas com outras organizações e coletivos.

Assembleia Geral da Rede Cerrado

Na próxima semana, nos dias 06 e 07 de maio, a Rede Cerrado também realizará sua Assembleia Geral cujo missão será eleger a nova coordenação geral da entidade para os próximos três anos. Na oportunidade, estarão presentes representantes das organizações associadas à Rede Cerrado.

Assembleia Geral da Rede Cerrado realizada em maio de 2018/Acervo Rede Cerrado.

 

A Rede Cerrado

Composta por mais de 50 entidades da sociedade civil associadas, a Rede Cerrado trabalha para a promoção da sustentabilidade, em defesa da conservação do Cerrado e dos seus povos. Indiretamente, a Rede Cerrado congrega mais de 300 organizações que se identificam com a causa socioambiental do bioma.

Somos representados por indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, vazanteiros, fundo e fecho de pasto, pescadores artesanais, geraizeiros, extrativistas, veredeiros, caatingueros, apanhadores de flores Sempre Viva e agricultores familiares.

A Rede Cerrado também atua estrategicamente em diversos espaços públicos socioambientais para propor, monitorar e avaliar projetos, programas e políticas públicas que dizem respeito ao Cerrado e aos seus povos.

Veja matéria no site da Rede Cerrado!

Contato para imprensa e entrevistas
Assessoria de Comunicação da Rede Cerrado
Thays Puzzi
comunicacao@redecerrado.org.br
(61) 9 8116-4747 (WhatsApp)


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Union of Pro-Cerrado COMDEMAs

 

Yesterday (26), the Neotropic Foundation of Brazil began its activities of elaborating the Miranda Municipal Environment Council (MS) Action Plan.
On this occasion was invited to Dr. Livia Medeiros, specialist in caving, gave a lecture on Conservation of Underground Biodiversity and its relationship with the conservation of the Cerrado.
This is an action made possible by the project Pro-Cerrado COMDEMAs Union: Mobilizing Actors in the Miranda-Bodoquena Corridor & #8221;, which is sponsored by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) Critical Ecosystem Partnership Fund) with the support of the International Institute of Education of Brazil (IEB).

Want to know more about this initiative?

Access: https://goo.gl/jD2hsB

 

 

 

Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic is expanded and becomes one of the largest in the Cerrado

 

 

Peruaçu River, Januaria, MG. Photo: ©André Dib

 

 

The Mosaico Sertão Veredas–Peruaçu (MSVP) é um conjunto de áreas protegidas localizadas na margem esquerda do Rio São Francisco, entre as regiões norte e noroeste de Minas Gerais e parte do sudoeste da Bahia. Com uma área aproximada de 1.8 milhões de hectares e perímetro de 1.210 km, o Mosaico envolve unidades de conservação ambiental, comunidades tradicionais e a Terra Indígena Xakriabá. Em Minas Gerais, o Mosaico engloba áreas dos municípios de Formoso, Arinos, Chapada Gaúcha, Urucuia, Cônego Marinho, Januária, Itacarambi, Bonito de Minas, São João das Missões, Miravânia e Manga. Atravessado pelo Rio Carinhanha, o território se estende até parte do município de Cocos, na Bahia. O território faz parte da região dos Gerais, imortalizada por João Guimarães Rosa em obras como “Grande Sertão: Veredas”, “Sagarana” e “Manuelzão e Miguilim”. A diversidade ambiental da região, que abriga espécies endêmicas da fauna e flora do Cerrado, convive com a riqueza cultural dos povos tradicionais sertanejos, ribeirinhos, geraizeiros e vazanteiros*.

O Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu foi ampliado de 1.8 milhões de hectares para mais de 3 milhões de hectares. A inclusão de dez unidades de conservação no Mosaico, que agora passam a integrar às 15 UCs já existentes, somando um total de 25 áreas protegidas, ocorreu na última quinta-feira (05), três meses após a proposta ser apresentada para a Câmara Técnica de Gestão Integrada das unidades do MSVP, em que o WWF-Brasil faz parte da coordenação. O conselho consultivo do MSVP aprovou, por unanimidade, o pedido de ampliação do mosaico. Esse é um grande passo para o planejamento e execução de ações conjuntas na prevenção ao desmatamento e maior desempenho das ações de conservação de um dos maiores remanescentes de Cerrado. See the full article on site from WWF-Brasil!

No intuito de atuar na integração e fortalecimento da gestão das áreas especialmente protegidas do MSVP, o WWF-Brasil e parceiros executam o projeto “Fortalecimento da gestão territorial integral nas áreas especialmente protegidas do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu” with support from Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) It's from Brazilian International Institute of Education (IEB).

*Texto retirado do site Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan, the MacArthur Foundation and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Kalunga community gains ownership of areas important to its territory

Kalunga Community / © Ion David

 

On June 6 at 10 am, Attorney General Dr. Luiz Cesar Kimura, representing Governor Zé Eliton and the state of Goiás, accompanied by Dr. Vavá, handed the Deed of Grant of Real Right of Use to the President gives Quilombo Kalunga Association (AQK), Vilmar Souza Costa, from the following areas:

PROPERTY NAME

AREA (ha)

Gleba Vacant Kid

3.682,5639

Gleba Vacant Gap of Souls

57.343,4438

Serra da Contenda I Biological Reserve

14.207,0000

TOTAL

75.233,0077

The ceremony was attended by a large number of Kalungas, the Boards of the Associations, the Judge of the Cavalcante County Dr. Pedro Piazzalunga Cesario Pereira, the Promoter Dr. Úrsula Catarina Pereira Pinto, the Mayor Rui Alves Maciel and the Councilors Kalungas Iron Moreira Dias and Salviano dos Santos Rosa. The joy of the Kalunga people during the solemnity was very great.

This conquest of the tenure of these three areas is extremely important for the consolidation of the territory of the Kalunga Historical Site and Cultural Heritage (SHPCK), fruit of the struggle of the Quilombo Kalunga Association. The communities of Teresina, Monte Alegre and Cavalcante received an entourage from the government of the state of Goiás that handed over the land use deed. Now Kalunga territory has these areas, which add up to 75,233,0077 hectares14,000 hectares belong to the Serra da Contenda I Biological Reserve.

SHPCK has approximately 39 regions which may be called communities, where more than 1,500 families. Kalungas have lived in the mountain ranges for approximately 300 years and have a harmonious relationship with the environment. The community also carries very strong culture and historical tradition in its people through crafts such as ceramics, weaving, embroidery and the production of home remedies.

Through the project “Use of Geoprocessing in the Management of the Kalunga Historical Site and Cultural Heritage”, The Quilombo Kalunga Association with the support of CEPF Cerrado (Critical Ecosystem Partnership Fund) implement the improvement and consolidation of SHPCK's environmental and territorial management through Geographic Information System (GIS) as a tool for permanent territorial management, as well as the sustainable use of natural resources, aiming at guaranteeing the improvement in the quality of life for all residents and for future generations.  Access the link to know more about this initiative!

2018 has been a year of consolidating countless victories of the Kalunga people!

 

Kalunga community at the solemnity of the delivery of the Deed for the granting of real use of the areas
Kalunga community at the solemnity of the delivery of the Deed for the granting of real use of the areas
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.

 

Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic Project holds meetings of the Working Groups in Januária (MG)

Continuing the activities of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic Project, the meetings of the Working Groups are debated in Januária (MG), which are discussing the themes that are central to the revision of the Conservation Based Territorial Development Plan & #8211; DTBC and the elaboration of the Socio-Environmental Mosaic Zoning.

From 03 to 06/04 the members of the Working Groups of the Mosaic Waters, Private Initiative, Agroecology and Extractivism, Integrated Management of Conservation Units and Tourism met. The meeting was held at the premises of the Federal University of Montes Claros - UNIMONTES, on the campus of Januária (MG).

In this opportunity, the participants of the groups representing the various sectors operating in the area covered by the Mosaic, could evolve in their proposals for the elaboration of the CBD Plan and the contribution to the Socio-Environmental Zoning. The methodology of working with maps of the region has been the main tool for the debate with the traditional, indigenous and quilombola communities of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic.

 

Text by Fernando Lima

 

Waters of Mosaic Working Groups, Private Initiative, Agroecology and Extractivism, Integrated Management of Conservation Units and Tourism. Photo: Paulo Henrique / Funatura
Presentation by Cesar Victor do Espírito Santo, Superintendent of Funatura. Photo: Paulo Henrique / Funatura

 

 

Fórum do Clima acontecerá no DF entre os dias 28 e 29 de novembro

The Fórum do Clima que acontecerá aqui no Distrito Federal entre os dias 28 e 29 de novembro, auditório Águas Claras no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, tem o propósito de discutir, centrado em três temas estratégicos, os cenários e alternativas de adaptação às mudanças climáticas; as emissões de gases de efeito estufa do Distrito Federal e opções de mitigação e a governança climática.

Na reunião plenária de encerramento será lida a proposta do decreto de criação do fórum, submetida à consulta dos participantes, e encaminhada ao governador de Brasília. Esta proposta trata  da criação de instâncias de governança climática no DF, da consolidação do Fórum como instituição permanente, e ainda propõe a instalação de um painel científico para subsidiar tomadores de decisão.

As vagas estão limitadas a 200 participantes e as inscrições devem ser realizadas no site da SEMA-DF. A programação completa está disponível on here.

A matéria completa sobre o Fórum pode ser acessada no site da SEMA/DF.

Mais informações:

Email: comunicacaosema@gmail.com

Telefone: (61) 3214 – 5611

 

Curso “Criação e Gestão de Unidades de Conservação em Áreas Urbanas” será oferecido em Brasília

O curso “Criação e Gestão de Unidades de Conservação em Áreas Urbanas: aspectos conceituais, legais e práticos” que será oferecido entre os dias 27 de novembro e 02 de dezembro de 2017 pelo arquiteto e urbanista Miguel von Behr, tem o objetivo de capacitar e desenvolver o profissional da área ambiental e urbana na integração da gestão territorial e participativa.

As aulas irão ocorrer no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), localizado em Brasília (DF). Mais informações e detalhes sobre o curso estão disponíveis neste folder:

 

Organizações desenvolvem plataforma online para mapear Terras Indígenas e Comunitárias

Treze das principais organizações de direitos de terra do mundo desenvolveram a LandMark (Global Platform of Indigenous And Community Lands), que é a primeira plataforma online, interativa e global para mapear terras indígenas e comunitárias, fornecendo dados de nível local e nacional. Ela também rastreia informações críticas sobre a segurança legal dessas terras, permitindo aos usuários monitorar o status e a eficácia das leis nacionais de terras em todo o mundo.

A plataforma global destina-se à ajudar os povos indígenas e comunidades a proteger seus direitos de terra e garantir a posse de suas terras. A LandMark atualmente fornece informações em duas escalas, nível comunitário e nível nacional, permitindo aos usuários comparar a situação da posse da terra entre e dentro dos países.

A plataforma LandMark pode ser acessada através do seguinte link: http://www.landmarkmap.org/