Home » traditional communities

Tag: comunidades tradicionais

Field research seeks to value the ways of life of traditional peoples and communities of the Cerrado

por Bruno Santiago, Assessor de Comunicação da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado

Entre os meses de setembro e outubro de 2019, a Campanha Nacional em Defesa do Cerrado visita Comunidades e Povos Tradicionais da região do Mirador-Tables Corridor, situado nos estados do Maranhão, Piauí e Tocantins. O motivo da itinerância é a realização da pesquisa de campo do Projeto ‘’Articulação em rede e participação social para a conservação do Cerrado’’, que conta com o apoio do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), com coordenação da ActionAid Brasil.

Jonathan and Jorge, Gamella children from Vão do Vico Indigenous Territory, Santa Filomena, Piauí. In the photo are looking at a monocle with old photos of family members. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

Com foco na valorização dos modos de vida dos Povos e Comunidades Tradicionais e no fortalecimento das ações de participação social e luta por direitos territoriais desses grupos, a pesquisa busca subsidiar a atuação da Campanha, de suas organizações integrantes e das populações que vivem na savana brasileira.

Diante da conjuntura socioambiental adversa experimentada pelos povos da terra, das florestas e das águas em qualquer bioma de nosso país, uma pesquisa como esta torna-se ainda mais relevante. É o que explica Gerardo Cerdas Vega, analista de Políticas e Programas da ActionAid Brasil. ‘’Vivemos um momento em que os Povos do Cerrado enfrentam uma violência generalizada contra seus direitos territoriais e seus modos de vida, o que coloca a sobrevivência dessas pessoas em risco’’, enfatiza.

Seu Didi, Melancias territory. Riacho dos Cavalos Community. Gilbués, Piaui. This place was his old house, which today is surrounded by the Dawn Farm. He came in to show us what the community looked like before the houses were destroyed. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

A partir da identificação de práticas, conhecimentos e tecnologias das comunidades visitadas, a pesquisa pretende mostrar a relação da ação dessas populações com a proteção da agrobiodiversity dos territórios. ‘’Qualquer estratégia de defesa e conservação do bioma deve contemplar a permanência desses guardiões e guardiãs. É indiscutível que a contribuição dessas pessoas é significativa e a pesquisa pretende apresentar esses benefícios’’, afirma Gerardo.

Outro eixo temático da pesquisa é a garantia de direitos a partir dos espaços de participação social. O projeto objetiva detectar os espaços institucionais relevantes para ações de incidência das comunidades, abarcando temas como soberania alimentar e nutricional, educação rural e políticas de inclusão social.

Para além dos espaços de participação institucionais, a pesquisa também lançará um olhar para os espaços comunitários de organização. ‘’Observamos que no contexto nacional os espaços de participação social nem sempre são acessíveis ou democráticos, sobretudo para os povos e comunidades tradicionais. Dessa forma o projeto também visa garantir subsídios para que as comunidades e povos possam se organizar e lutar pelos seus direitos de participar’’, destaca Vega.

Riozinho, Chupé Community. Santa Filomena, Piaui. Community residents report pesticide contamination in Rio during the winter. That is when the farms use it and with the rains, everything goes down to the rivers of the Communities. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

Conflitos no Cerrado

Uma das Comunidades que receberam a equipe da pesquisa de campo da Campanha foi Brejo do Miguel, no município de Gilbués, sul do estado do Piauí, território tradicional ribeirinho brejeiro. Na última semana a Comissão Pastoral da Terra (CPT) publicou nota pública denunciando a invasão de grileiros em uma área de roça no toco e solta de animais que é utilizada há cerca de três gerações pela comunidade. A cerca que havia sido construída pelas famílias da região foi destruída por sete jagunços com o uso de motosserras.

Infelizmente esse tipo de conflito não é novidade no Cerrado e no campo brasileiro. Segundo dados da CPT, 118.080 famílias estiveram envolvidas em conflitos por terra em 2018, período que também registra que esse tipo de ocorrência aumentou 3,9%, em relação a 2017, passando de 1.431 ocorrências para 1.489.

Neste contexto de conflitos, ameaças e desafios para as populações cerradeiras que resistem, a pesquisa de campo do projeto “Articulação em rede e participação social para a conservação do Cerrado’’ objetiva oferecer sua contribuição com a disponibilização de informações, relatório e cartilha com os frutos dessas vivências e aprendizados nos territórios.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Composting in Traditional Generating Communities

by Mario Alberto Santos, via Federal University of Western Bahia (UFOB)

This leaflet is a didactic guide to assist in the installation of a composting model made within the Pedagogical Workshop for treatment of organic solid waste and production of agricultural inputs. This workshop is part of the Project activities. Productive Backyards, Agroecology and Food Safety in the Guará River Valley, São Desidério-BA, which aims to present and disseminate social technologies and sustainable practices for agroecological food production, recovery, soil conservation and treatment of solid organic waste in traditional Geraizeiras communities in western Bahia. Funding for the project is from CEPF Cerrado (Critical Ecosystem Partnership Fund), an international fund administered in Brazil by the IEB (International Institute of Education of Brazil), located in Brasília-DF. The technical responsibility lies with the Research and Extension Group: Geographic Education, Dialogue of Knowledge and Cerrado, from the Federal University of Western Bahia (UFOB), and has a partnership with the Bahia Polytechnic School Foundation (FEP-BA), responsible for financial management.

Access the version available at pdf.

 


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Rede Cerrado launches campaign for IX Cerrado Peoples Meeting and Fair

via Cerrado Network

É TUDO OU NADA!

Está no ar a campanha de financiamento coletivo para a realização do IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado.  Você sabe por que esse encontro é importante?

Realizado desde 2001, o Encontro e Feira dos Povos do Cerrado é um grande espaço de troca de experiências e articulações em defesa do Bioma e dos seus povos.

A nona edição do Encontro se constitui em um momento intenso de mobilização e integração entre diversos setores e atores interessados na defesa do Cerrado e de seus povos.

Além de ser uma grande festa pela reunião da diversidade dos povos do Cerrado, ele tem se tornado um importante instrumento de articulação e fortalecimento dos povos, além de se constituir como um meio de acessibilidade e discussão de políticas públicas e a comercialização de produtos dos Povos do Cerrado.

Pelo Cerrado Vivo: diversidades, territórios e democracia. Este será o tema da nona edição do Encontro e Feira dos Povos do Cerrado. Com abertura no dia 11 de setembro, Dia Nacional do Cerrado, o Encontro e Feira será realizado em Brasília até dia 14 de setembro e será um espaço de debates, reflexões e trocas de experiências sobre a realidade do bioma e os desafios enfrentados pelos povos e comunidades tradicionais que habitam o Cerrado.

Foi para arrecadar fundos complementares para a realização do evento, que a Rede Cerrado lança uma campanha de financiamento coletivo para que qualquer pessoa que lute pela conservação do Cerrado e dos seus povos possa colaborar com a construção do encontro.

Quem organiza o Encontro e Feira dos Povos do Cerrado?

A Rede Cerrado! Um coletivo de organizações que congrega 54 organizações formalmente filiadas e cerca de trezentas organizações participantes das atividades da Rede.

Contamos com o seu apoio!

Veja mais detalhes do financiamento coletivo para a realização do IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado no link e faça parte dessa grande rede de solidariedade: https://benfeitoria.com/encontroefeirapovosdocerrado

 


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Approved in Goiás the first internal regulation of a quilombo in Brazil

Iniciativa da Associação Quilombo Kalunga será modelo para outras comunidades quilombolas

por Associação Quilombo Kalunga

THE Quilombo Kalunga Association (AQK) finalizou em maio a elaboração do regimento interno, um projeto pioneiro em nível nacional. O regimento interno estabelece normas para a gestão ambiental e territorial do Kalunga Historical Site and Cultural Heritage (SHPCK), para o reconhecimento da ascendência e da remanescência Kalunga, e para a exploração do turismo no território. O SHPCK é considerado o maior território de quilombo no Brasil, com 261.999,69 hectares, e fica localizado na região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

Vilmar de Souza Costa faz a abertura da Assembleia de Representantes das Comunidades Kalunga para elaborar o Regimento Interno da Associação Quilombo Kalunga. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

De 18 de março a 12 de maio foram realizadas 14 assembleias, que envolveram todas as 39 comunidades Kalunga e contaram com a participação de mais de mil pessoas. Nestes encontros foram debatidos os pontos mais importantes que, no entendimento dos presentes, deveriam constar do regimento interno, sendo por eles eram votados e aprovados os conteúdos. Nestas assembleias também foi sendo amadurecida a criação de um Conselho de Representantes da AQK, um colegiado formado por três representantes de cada comunidade local e que passava a integrar a direção da Associação Quilombo Kalunga.

Nos dias 23 a 26 de maio foi realizada a Assembleia de Representantes eleitos nas reuniões das comunidades, na sede da Associação Kalunga de Cavalcante. Foram momentos de intensos debates de cada artigo e de cada parágrafo, sendo, ao final, aprovado.

De acordo com Vilmar Souza Costa, presidente da Associação Quilombo Kalunga, o regimento interno é de essencial importância para regulamentar as relações existentes dentro do território, sempre respeitando os costumes, os saberes e as tradições do povo Kalunga. “A criação do nosso regimento é mais uma demonstração da capacidade do povo Kalunga de se organizar, de defender e de gerir seu território. Construímos de forma coletiva e participativa as nossas próprias normas, que serão seguidas por todo o nosso povo”, afirma Costa.

Maria Aparecida Mato, diretora-executiva da CONAQ – Coordenação Nacional de Articulações das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Brasil – participou de uma das 14 assembleias e enalteceu a importância das normas e a cultura de um povo quilombola serem colocadas no papel, como uma prova escrita e concreta de tudo que está estabelecido. “Este é o primeiro quilombo do Brasil a criar um regimento interno. É um exemplo e um modelo que será seguido por várias outras comunidades quilombolas do Brasil”, revela.

Geoprocessamento e preservação nas assembleias

Outro tema das assembleias foi o projeto “Uso do Geoprocessamento na Gestão do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga – SHPCK”, fomentado pelo Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, da sigla em Inglês para Critical Ecosystem Partnership Fund) and with support from Brazilian International Institute of Education (IEB)O projeto tem como objetivos conhecer com profundidade a realidade das comunidades Kalunga, usar a tecnologia de geoprocessamento  para mapear detalhadamente o território, promover a ocupação do SHPCK de uma forma mais sustentável e fazer com que os Kalunga sejam reconhecidos internacionalmente como defensores da conservação da biodiversidade.

Representando o CEPF/IEB, Michael Jackson faz pronunciamento sobre a importância da organização do povo Kalunga para realizar a gestão ambiental e territorial. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

Desde janeiro está sendo feito o levantamento e o cadastro socioeconômico dos moradores do SHPCK, com a meta de participação de todas as 1,5 mil famílias quilombolas. Terminado o levantamento, será feita a associação dos levantamentos de campo com a base cartográfica e o mapeamento temático realizado por meio de geoprocessamento e sensoriamento remoto. Será feito também o levantamento cadastral das atividades de garimpo, retirada ilegal de madeira e pesca predatória, e dos atrativos turísticos.

As assembleias ainda tiveram como foco a mobilização das famílias quilombolas sobre a importância da conservação da biodiversidade em todo o território. Para isso, foram confeccionados 4 mil calendários, que foram entregues nas casas Kalunga, além de pessoas e de locais estratégicos dos municípios de Alto Paraíso, Cavalcante, Campos Belos, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás. Também foram confeccionados banners, fixados em todas as escolas municipais, estaduais e particulares nos cinco municípios.

De acordo com o levantamento prévio feito pela Associação, há 19 espécies localmente ameaçadas encontradas na região. As espécies-alvo de conservação foram priorizadas de acordo com o critério de grau de ameaça, focado em espécies que enfrentam risco extremamente elevado de extinction na natureza, exigindo ações urgentes de conservação.

Sobre a Associação Quilombo Kalunga

A Associação Quilombo Kalunga é uma organização civil, sem fins lucrativos e sem finalidade econômica, fundada em outubro de 1999. É constituída pelas Associações Kalunga de Cavalcante, de Monte Alegre, de Teresina e do Engenho II, além da Epotecampo. Ela representa o maior território de quilombo no Brasil, com 262 mil hectares de terras. A Associação promove a defesa de interesse de todas as comunidades formadas por moradores do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga (SHPCK), espalhados entre os municípios goianos de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás, e representá-las em todas as instâncias legais e administrativas.

Mais informações:

Telefone: (62) 3494-1062

Email: aqkalunga@gmail.com

Facebook gives Aqk.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Training in Cerrado seedling production brings together traditional peoples and communities in Mato Grosso do Sul

In November, the community of Aldeia Brejão promoted a practice in Cerrado seedling production, through the project Seedling Nursery for Agroforestry Production in Aldeia Brejão. This project receives support from Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB).

The training workshop involved representatives from the Hanaiti Yomo'omo Association (AHY), the Ecology and Action NGO (ECOA), São Miguel quilombola community, Água Branca Village, Taboquinha Village, Rural Extension Agency, Angelina Vicente Indigenous State School, Municipal School Eugênio de Souza and representatives of the Cerrado Production, Research and Training Center (Ceppec), located in the Andalucia settlement, in Nioaque / MS.

The project Seedling nursery for agroforestry production in Aldeia Brejãowhich runs Hanaiti Yomomo Association (AHY), aims to include indigenous peoples in the community development process, ensuring a sustainable alternative in food security, the use of new social technologies, sustainable use of land and plant species in the Cerrado, as well as adding value and generating income through agricultural and extractivist means. One of the main components of this project is to train community members in agroecological transition and agroforestry systems, as well as in the production of fruits of plant species of the Cerrado. THE Training Workshop for Production of Seedlings of Native Cerrado Species It took place between November 30 and December 1, 2018 and was taught by Dr. Zefa Valdivina Pereira (UNICAMP). According to Alexandro Souza, project manager, & #8220; the two days of workshop were extremely rewarding work days & #8221 ;.

Want to know the other projects supported by Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB)? Access our site or subscribe to our electronic bulletin.

Seedling Nursery for Agroforestry Production in Aldeia Brejão, Training Workshop for Production of Seedlings of Native Cerrado Species, November 2018.
Seedling Nursery for Agroforestry Production in Aldeia Brejão, Training Workshop for Production of Seedlings of Native Cerrado Species, November 2018.
Seedling Nursery for Agroforestry Production in Aldeia Brejão, Training Workshop for Production of Seedlings of Native Cerrado Species, November 2018.

The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Mamede Institute and WWF-Brazil promote training in ecotourism with MS communities

 

Photo: Aryanne Amaral / IEB

 

* Community-Based Ecotourism is an action that contributes to raising family income and conserving natural resources.

It can be another source of family income, conserve natural resources, and delight people about caring for the land and nature are the goals of a project that Mamede Institute and WWF-Brazil develop today with the Canaã Settlement, in Rock that is 80 km far from the capital of Mato Grosso do Sul. Settlers are learning that simple living and caring for nature generate interest from tourists seeking rural experiences. In the settlement there are several natural and cultural attractions, with the possibility of the tourist to visit the fields; monitor the production of dairy cattle; visit the Santo Antonio Hill - where believers make pilgrimages and devotions; various water sources; natural environments with Cerrado vegetation, gallery forests and seasonal forests, and abundant wildlife. Typical foods, garden produce and family farms are also offered, as well as breads, milk and cheese.

For all of this to work, however, the community needs to be well prepared and organized, so the importance of residents' training and engagement courses.

And it is this kind of initiative & #8211; organize the community to offer community ecotourism services & #8211; that Instituto Mamede is doing in partnership with WWF-Brasil, through the project “Sustainable Municipalities protecting the cradle of Cerrado waters and the headwaters of the Pantanal” supported by Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB).

Don Eaton's WWF-Brazil explained that “the project, Sustainable Municipalities, seeks to promote economic alternatives that are environmentally sustainable for rural communities, contributing to income generation, strengthening the local economy and maintaining essential environmental services for production areas, rural communities and regional biodiversity. "

Continuous work

The work with Community-Based Ecotourism in the Canaan Settlement The participation of 23 community members has been built through a dialogue process since 2017, culminating in the first training module in July this year, based on Quilombola Community Furnas da Boa Sorte, located in the municipality of Corguinho (130 km from Campo Grande), Mato Grosso do Sul. There, the training has been developed since 2015 and, this year, the second module took place in February with the participation of 43 people.

Simone Mamede and Maristela Benites from Mamede Institute, have the partnership of several institutions such as the State University of Mato Grosso do Sul (UEMS), the Graduate Program in Environment and Regional Development of UNIDERP and Mato Grosso do Sul Tourism Foundation - FUNDTUR-MS. Thus, experience and responsibilities are shared in order to inspire and ensure the construction of more sustainable territories that perceive local-based tourism as an alternative for better land use and biodiversity conservation. In addition to encouraging research and extension on this topic and investment in training and structuring tourism in the state, they said.

Participatory methodologies such as open space, spoken map, participatory diagnosis, lecture and field practices have been used to conduct the training. The courses are divided into three modules: I) Planning and Sustainability; II) Environmental Education and Script Formatting and; III) Entrepreneurship and Marketing.

According to Simone Mamede of the Mamede Institute, “the activity has been conducted with great care and dedication. All monitors have undergone training and the application of the modules has been evaluated and monitored. Dialogue, perception and follow-up by both community members and other actors are frequent and enriching actions, which have added a lot in the formation process. Protagonism, empowerment, belonging, participation and social identity are the structuring themes that underlie the actions and each training module ”.

As a result of Quilombola Community Furnas da Boa Sorte It has already received some groups of tourists and has realized the importance of expanding the range of activities with the tourism potential. In this sense, the women, which represented more than 50% of the people who attended the last training, has mobilized to create a non-governmental organization that represents the community's women's core.

This second semester will include the installation of community-based Ecotourism interpretation and signage boards and by 2019 new workshops on specific topics are also planned.

“Community-based ecotourism has proven to be not only an income alternative for these communities, but a way of transforming people and recognizing the beauty and simplicity of everyday life. A learning about the culture of peace, living and living, a continuous and collective construction for sustainability ”, concluded Mamede.

* Text provided by WWF-Brasil and Instituto Mamede

Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Don Eaton / WWF Brazil
Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Instituto Mamede
Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Instituto Mamede
Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Don Eaton / WWF Brazil
Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Instituto Mamede
Furnas Quilombola Community of Good Luck, Mato Grosso do Sul. © Instituto Mamede
Settlement Canaan, Mato Grosso do Sul. © Mamede Institute
Settlement Canaan, Mato Grosso do Sul. © Mamede Institute
Canaan Settlement, Mato Grosso do Sul. © Don Eaton / WWF Brasil
Canaan Settlement, Mato Grosso do Sul. © Don Eaton / WWF Brasil
Canaan Settlement, Mato Grosso do Sul. © Don Eaton / WWF Brasil
Settlement Canaan, Mato Grosso do Sul. © Mamede Institute

 


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan, the MacArthur Foundation and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Kalunga community gains ownership of areas important to its territory

Kalunga Community / © Ion David

 

On June 6 at 10 am, Attorney General Dr. Luiz Cesar Kimura, representing Governor Zé Eliton and the state of Goiás, accompanied by Dr. Vavá, handed the Deed of Grant of Real Right of Use to the President gives Quilombo Kalunga Association (AQK), Vilmar Souza Costa, from the following areas:

PROPERTY NAME

AREA (ha)

Gleba Vacant Kid

3.682,5639

Gleba Vacant Gap of Souls

57.343,4438

Serra da Contenda I Biological Reserve

14.207,0000

TOTAL

75.233,0077

The ceremony was attended by a large number of Kalungas, the Boards of the Associations, the Judge of the Cavalcante County Dr. Pedro Piazzalunga Cesario Pereira, the Promoter Dr. Úrsula Catarina Pereira Pinto, the Mayor Rui Alves Maciel and the Councilors Kalungas Iron Moreira Dias and Salviano dos Santos Rosa. The joy of the Kalunga people during the solemnity was very great.

This conquest of the tenure of these three areas is extremely important for the consolidation of the territory of the Kalunga Historical Site and Cultural Heritage (SHPCK), fruit of the struggle of the Quilombo Kalunga Association. The communities of Teresina, Monte Alegre and Cavalcante received an entourage from the government of the state of Goiás that handed over the land use deed. Now Kalunga territory has these areas, which add up to 75,233,0077 hectares14,000 hectares belong to the Serra da Contenda I Biological Reserve.

SHPCK has approximately 39 regions which may be called communities, where more than 1,500 families. Kalungas have lived in the mountain ranges for approximately 300 years and have a harmonious relationship with the environment. The community also carries very strong culture and historical tradition in its people through crafts such as ceramics, weaving, embroidery and the production of home remedies.

Through the project “Use of Geoprocessing in the Management of the Kalunga Historical Site and Cultural Heritage”, The Quilombo Kalunga Association with the support of CEPF Cerrado (Critical Ecosystem Partnership Fund) implement the improvement and consolidation of SHPCK's environmental and territorial management through Geographic Information System (GIS) as a tool for permanent territorial management, as well as the sustainable use of natural resources, aiming at guaranteeing the improvement in the quality of life for all residents and for future generations.  Access the link to know more about this initiative!

2018 has been a year of consolidating countless victories of the Kalunga people!

 

Kalunga community at the solemnity of the delivery of the Deed for the granting of real use of the areas
Kalunga community at the solemnity of the delivery of the Deed for the granting of real use of the areas
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.
Representatives of the Kalunga people and the state of Goiás.

 

Socio-environmental organizations want to base Cerrado conservation on presidential candidate programs

 

Proposta de estratégia nacional para o bioma inclui ainda a defesa dos direitos territoriais dos povos e comunidades tradicionais da região. Diretrizes serão entregues aos candidatos a Presidente da República

Brasília, 04 de junho de 2018 – O Cerrado é mais do que o celeiro do mundo para a produção agrícola brasileira, é também a caixa d’água do Brasil. A afirmação do ex-secretário do Meio Ambiente do Distrito Federal, André Lima, mostra a necessidade de o próximo presidente da República rever a forma de ocupação do bioma, que tem sofrido crescente devastação nos últimos anos. “Até hoje nenhum presidente considerou o Cerrado como bioma que ele é”, enfatizou Lima.

Com o objetivo de conciliar as ações necessárias para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do país, seis organizações socioambientais se reuniram para promover o seminário “Estratégia Nacional Para o Cerrado”, a ser entregue a todos os candidatos a presidente da República até agosto deste ano. The seminar ocorrerá no dia 5 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente – e será realizado pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS), no plenário 2, do Anexo II, da Câmara dos Deputados em Brasília.

A proposta a ser apresentada aos candidatos a presidente possui três eixos. O primeiro é a conservação e recuperação do Cerrado. Esta diretriz inclui a implementação da legislação ambiental, o fortalecimento das áreas protegidas e a meta de desmatamento líquido zero no Cerrado, resguardadas as particularidades dos agricultores/as familiares, dos povos e comunidades tradicionais. O segundo é a garantia dos direitos territoriais e de acesso aos recursos naturais pelas populações tradicionais e comunidades extrativistas. O terceiro eixo é o mais desafiador: integrar o desenvolvimento agropecuário com a conservação e integridade do bioma, de modo a assegurar o desenvolvimento sustentável para o meio ambiente. “Hoje, o Cerrado é uma região vista apenas para o desenvolvimento do agronegócio e da pecuária”, pontua André Lima.

“O Cerrado é uma região de nascentes das bacias Amazônica, do São Francisco, Tocantins, bacia Atlântico Norte/Nordeste, bacia Atlântico Leste e a bacia dos rios Paraná/Paraguai”, explica o ambientalista.

A Coordenação da Estratégia Nacional para o Cerrado é integrada por seis organizações socioambientais: os institutos Sociedade, População e Natureza (ISPN), Internacional de Educação do Brasil (IEB), de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), Socioambiental (ISA), Centro de Vida (ICV) e o Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Brasil). O seminário contará com o apoio da Climate and Land Use Alliance (CLUA) e com recursos do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF).

Cerrado ameaçado

O Cerrado é o segundo maior bioma no Brasil e abriga 40% da população brasileira. São agricultores/as familiares, comunidades e povos tradicionais – quilombolas, geraizeiros (do norte mineiro), quebradeiras de coco babaçu, povos indígenas entre outros – são 216 terras indígenas e 83 etnias em seu interior.

Quanto à água, abriga o aquífero Guarani – o segundo maior reservatório subterrâneo do mundo, além dos aquíferos Bambuí e Urucuia. Parte do Sudeste depende das águas oriundas das chuvas e das nascentes no Cerrado.

O Cerrado brasileiro é uma das savanas mais ameaçadas do planeta. Possui hoje apenas 50% da sua cobertura vegetal original. Apenas 5% de sua área é protegida por unidades de conservação de proteção integral.

Ao se falar de devastação, trata-se de ameaça a um bioma rico em biodiversidade. Alguns estudos relatam mais de 12 mil espécies catalogadas da flora nativa.

Em relação à fauna, cerca de 250 espécies de mamíferos vivem no Cerrado, junto com uma rica avifauna, com 856 espécies registradas. A diversidade de 800 espécies de peixes, 262 espécies de répteis e 204 de anfíbios é alta e relevante para a manutenção dos ecossistemas no Cerrado.

Para mais informações sobre o evento acesse a página da CMADS e este link.

 

 

IEB, CEPF and CI / GEF mission visits Cerrado conservation projects in Mato Grosso do Sul

In this month of April, the International Institute of Education of Brazil / CEPF Cerrado received a visit from the CEPF International and Conservation International / GEF for a visit to projects that are already running in the areas of Cerrado of Mato Grosso do Sul.

The projects were approved by CEPF Cerrado First Call 2016 and are executed by Hanaiti Yomo'omo Association (AHY), ECOA, Neotropic Foundation of Brazil and WWF-Brazil and are developing work aimed at restoration, training, territorial management, public policy, protected areas and agroecology.

THE AHY and the ECOA They work with the strengthening of communities, the first seeking the inclusion of indigenous people and the second with rural settlers, by adding value and generating income through the Cerrado's agricultural and agro-extractive products. In addition, ECOA is following a vegetation restoration process started in 2016 in 15 areas (totaling approximately 22 ha). THE Neotropic Foundation of Brazil and WWF-Brazil seek to strengthen CONDEMAs to support local decisions that contribute to the conservation of the Cerrado and to the achievement of global biodiversity conservation goals. In addition, WWF-Brazil aims to promote participatory municipal land use planning and develop community-based programs for ecological restoration.

Know the details of each project in the site of CEPF Cerrado.

Quilombola Territory in Corguinho, MS.
Seedling nursery in the Aldeia Brejão indigenous community in Nioaque, MS.
Cerrado areas under restoration in Miranda, MS. Aryanne Amaral / IEB Collection
Teams from IEB, CEPF, CI, ECOA, Neotropic Foundation of Brazil and WWF-Brazil.

Photos: Aryanne Amaral / IEB

Indígenas e quilombolas discutem ações de projetos apoiados pelo Fundo CEPF

Tanto os indígenas, quanto os quilombolas participaram na última semana da apresentação dos três projetos apoiados pelo Fundo CEPF (Critical Ecosystem Partnership Fund), em português Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos, que serão implantados no território do Mosaico Sertão Veredas Peruaçu. O evento se deu pela parceria entre o WWF-Brasil, a Fundação Pró-Natureza (Funatura) e a Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas do Vale do Peruaçu (CooPeruaçu), todas contempladas com investimentos do CEPF. O objetivo foi disseminar informações que mostram as interfaces das três propostas e ressaltar a intenção de desenvolver ações conjuntas.

Notícia publicada do site do WWF Brasil. Veja a notícia completa aqui.

O evento foi realizado pelo WWF-Brasil, Funatura e CooPeruaçu, para disseminar informações que mostram as interfaces das três propostas e ressaltar a intenção de desenvolver ações conjuntas.
© Kolbe Soares/WWF-Brasil

 

Organizações desenvolvem plataforma online para mapear Terras Indígenas e Comunitárias

Treze das principais organizações de direitos de terra do mundo desenvolveram a LandMark (Global Platform of Indigenous And Community Lands), que é a primeira plataforma online, interativa e global para mapear terras indígenas e comunitárias, fornecendo dados de nível local e nacional. Ela também rastreia informações críticas sobre a segurança legal dessas terras, permitindo aos usuários monitorar o status e a eficácia das leis nacionais de terras em todo o mundo.

A plataforma global destina-se à ajudar os povos indígenas e comunidades a proteger seus direitos de terra e garantir a posse de suas terras. A LandMark atualmente fornece informações em duas escalas, nível comunitário e nível nacional, permitindo aos usuários comparar a situação da posse da terra entre e dentro dos países.

A plataforma LandMark pode ser acessada através do seguinte link: http://www.landmarkmap.org/