Home » Wrong CEPFC

Tag: CEPFCerrado

Cerrado: 31 Protected Areas Receive Action Plan by 2030

by Renata Peña, via WWF-Brasil

They are more than 3.5 million hectares of extreme beauty and diversity of plants, animals and medicinal herbs, as well as quilombola communities and indigenous lands. All this natural and socio-cultural richness is preserved in a set of 31 Protected Areas located in the Cerrado, between the north and northwest of Minas Gerais. THE Sertão Veredas Mosaic & #8211; Peruaçu has just received an action plan to foster sustainable development in this territory by 2030.

Peruaçu River, Januaria, MG. Photo: © André Dib / WWF-Brasil Collection

Starting next year, the Mosaic advisory council will seek to implement actions related to five main themes: integrated management, ecotourism, plant extraction, water conservation and sustainable agribusiness.

This means for example developing the agroecology with family farmers in the region - establishment of nurseries and backyards & #8211; empower residents of rural communities to strengthen existing plant extraction cooperatives and foster the creation of new ones; support brigade members in the fight against forest fires and further expand the potential of community-based tourism by training guides and drivers and creating new trails. THE Payment for Environmental Services (PSA) and the spring recovery degraded are two other guidelines of the action plan for the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic.

“The plan is essential so that the actions we have been developing for several years do not suffer a sudden stop with the change in the national political scenario. It is a motivation to be more innovative and to win more and more projects and initiatives that land in the local reality of the people and Mosaic Conservation Units ”, says WWF-Brazil conservation analyst Vinícius Pereira.

Serra das Araras Path. Photo: ©FUNATURA Collection

César Vitor do Espírito Santo, executive superintendent of the Pro-Nature Foundation (Funatura) explains that the plan also foresees the creation of a fund for the Mosaic. The funds raised would be used to implement the planned actions: “With this plan, we intend that the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic can be an inducer of sustainable development in the territory. A diverse and complex territory economically, socially and culturally. ”

For Joel Sirqueira, manager of the Peruaçu Valley Family and Extractive Farmers Cooperative (Cooperuaçu), an agro-extractive cooperative that has been supported by WWF-Brasil since its inception, the plan is an organized resource to continue conserving the Cerrado. “It directs in a planned and thoughtful way collectively, since everything was built together, the actions aimed at extractivism within the territory and especially for new ventures and cooperatives like Cooperuaçu, it is much more motivating to act when you have a document that helps leading the way forward, ”he says.

Janelão, Peruaçu Caves National Park. Photo: © FUNATURA Collection

The “Conservation Based Territorial Development Plan (DTBC)” was carried out by the Pró-Natureza Foundation (Funatura) with the support of the Critical Ecosystem Partnership Fund & CEPF Fund (#8211).

See the article in site from WWF-Brasil!

WWF-Brasil and the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic

WWF-Brasil has been operating in the Sertão Veredas Peruaçu Mosaic region through the Sertões Project since 2010, and more recently, with support from the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) in actions focused on encouraging the implementation and integrated management of the conservation; strengthening of the productive chain of the fruits of the Cerrado; communication, aiming at the valorization and rescue of the Cerrado and territorial planning, which aims at systematic conservation planning in the Cerrado biome.

WWF-Brasil executes the project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic, which aims to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic. This project is supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Baru productive chain - good, clean and fair

by Luana Campos, via ECOA

Typical Cerrado chestnut, the baru (Dipteryx alata) has been gaining more and more space inside and outside the country with high added value. This is because, in addition to the great taste and its proven health benefits, the fruit of baruzeiro has a strong socio-environmental component.

1st Baru Fair Trade and Solidarity Workshop at the IX Cerrado Peoples Meeting and Fair, Brasília, DF. Photo: ©Cajuí Communication Collection

The subject was addressed in “1st Baru Chain Fair and Solidarity Workshop”, during the IX Meeting and Fair of the Cerrado People. Organized by Sustainable Family Farming Cooperative Based on the Solidarity Economy (Copabase), the workshop was funded by the Cerrado Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) and support from ECOA, Rede Cerrado, International Institute of Education of Brazil (IEB), among other institutions.

In the Cerrado, baru extractivism has promoted income generation, autonomy and the recovery of the self-esteem of extractive family farmers. A virtuous process that helps to settle families and young people in the countryside, contributing directly to the conservation of the biome.

For the extractivist and director of Cerrado Production, Research and Training Center (Ceppec)Rosana Sampaio, “communities are for two reasons working with baru: one is the main one, the conservation of these species, this way of life, the preservation of the place where we live. Because we want to leave our children a balanced environment, and we fight for it. And the other is that we need to foster to stay there, we need to generate income ”.

Read the full article on site from ECOA!

Miranda-Bodoquena Corridor Project

The Miranda-Bodoquena Corridor project: filling social and environmental gaps, which was executed by ECOA and was supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and the International Institute of Education of Brazil (IEB), was closed this year and aimed to assist the revegetation and conservation of the Cerrado, through the strengthening of non-timber extraction by communities and settlers of Mato Grosso do Sul.

With the proposal to optimize the forest restoration process started in 2016 in three rural settlements; will improve Cerrado fruit collection management, like baru and bocaiúva and sensitize the market, promoting enhancement of by-products of native fruits of the Cerrado, the project achieved important impacts for the region.

In the end, the project expanded 1 of the 22.95 hectares of Mato Grosso do Sul Cerrado which were surrounded in 2016 with support from another project. This area is being restored, restoring the native vegetation and the recovery of 03 springs / streams: Madalena Stream and Lima Stream, in the Andalucia Settlement, Nioaque; and Agachi Stream, Bandeirantes Settlement, Miranda. In the area were also recorded the return of presence of native fauna, like a raccoon or a mangrove dog and a tuiiu. In addition to this restoration process, the project team worked to promote the production of seedlings of native species of the Cerrado, made by settlers, in their own lots, giving them access to the seedlings, which are hardly found for sale in public or private nurseries in the state. By the end of the project were produced 100 seedlings of baru, which were intended for planting in the fenced areas. Fifty guavira seedlings were also produced, in the early stages, 50 jatoba seedlings, and the project ended with the murici seeds, which will be sown later this year.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

Field research seeks to value the ways of life of traditional peoples and communities of the Cerrado

por Bruno Santiago, Assessor de Comunicação da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado

Entre os meses de setembro e outubro de 2019, a Campanha Nacional em Defesa do Cerrado visita Comunidades e Povos Tradicionais da região do Mirador-Tables Corridor, situado nos estados do Maranhão, Piauí e Tocantins. O motivo da itinerância é a realização da pesquisa de campo do Projeto ‘’Articulação em rede e participação social para a conservação do Cerrado’’, que conta com o apoio do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), com coordenação da ActionAid Brasil.

Jonathan and Jorge, Gamella children from Vão do Vico Indigenous Territory, Santa Filomena, Piauí. In the photo are looking at a monocle with old photos of family members. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

Com foco na valorização dos modos de vida dos Povos e Comunidades Tradicionais e no fortalecimento das ações de participação social e luta por direitos territoriais desses grupos, a pesquisa busca subsidiar a atuação da Campanha, de suas organizações integrantes e das populações que vivem na savana brasileira.

Diante da conjuntura socioambiental adversa experimentada pelos povos da terra, das florestas e das águas em qualquer bioma de nosso país, uma pesquisa como esta torna-se ainda mais relevante. É o que explica Gerardo Cerdas Vega, analista de Políticas e Programas da ActionAid Brasil. ‘’Vivemos um momento em que os Povos do Cerrado enfrentam uma violência generalizada contra seus direitos territoriais e seus modos de vida, o que coloca a sobrevivência dessas pessoas em risco’’, enfatiza.

Seu Didi, Melancias territory. Riacho dos Cavalos Community. Gilbués, Piaui. This place was his old house, which today is surrounded by the Dawn Farm. He came in to show us what the community looked like before the houses were destroyed. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

A partir da identificação de práticas, conhecimentos e tecnologias das comunidades visitadas, a pesquisa pretende mostrar a relação da ação dessas populações com a proteção da agrobiodiversity dos territórios. ‘’Qualquer estratégia de defesa e conservação do bioma deve contemplar a permanência desses guardiões e guardiãs. É indiscutível que a contribuição dessas pessoas é significativa e a pesquisa pretende apresentar esses benefícios’’, afirma Gerardo.

Outro eixo temático da pesquisa é a garantia de direitos a partir dos espaços de participação social. O projeto objetiva detectar os espaços institucionais relevantes para ações de incidência das comunidades, abarcando temas como soberania alimentar e nutricional, educação rural e políticas de inclusão social.

Para além dos espaços de participação institucionais, a pesquisa também lançará um olhar para os espaços comunitários de organização. ‘’Observamos que no contexto nacional os espaços de participação social nem sempre são acessíveis ou democráticos, sobretudo para os povos e comunidades tradicionais. Dessa forma o projeto também visa garantir subsídios para que as comunidades e povos possam se organizar e lutar pelos seus direitos de participar’’, destaca Vega.

Riozinho, Chupé Community. Santa Filomena, Piaui. Community residents report pesticide contamination in Rio during the winter. That is when the farms use it and with the rains, everything goes down to the rivers of the Communities. Photo: ©Andressa Zumpano / ActionAid Collection

Conflitos no Cerrado

Uma das Comunidades que receberam a equipe da pesquisa de campo da Campanha foi Brejo do Miguel, no município de Gilbués, sul do estado do Piauí, território tradicional ribeirinho brejeiro. Na última semana a Comissão Pastoral da Terra (CPT) publicou nota pública denunciando a invasão de grileiros em uma área de roça no toco e solta de animais que é utilizada há cerca de três gerações pela comunidade. A cerca que havia sido construída pelas famílias da região foi destruída por sete jagunços com o uso de motosserras.

Infelizmente esse tipo de conflito não é novidade no Cerrado e no campo brasileiro. Segundo dados da CPT, 118.080 famílias estiveram envolvidas em conflitos por terra em 2018, período que também registra que esse tipo de ocorrência aumentou 3,9%, em relação a 2017, passando de 1.431 ocorrências para 1.489.

Neste contexto de conflitos, ameaças e desafios para as populações cerradeiras que resistem, a pesquisa de campo do projeto “Articulação em rede e participação social para a conservação do Cerrado’’ objetiva oferecer sua contribuição com a disponibilização de informações, relatório e cartilha com os frutos dessas vivências e aprendizados nos territórios.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Composting in Traditional Generating Communities

by Mario Alberto Santos, via Federal University of Western Bahia (UFOB)

This leaflet is a didactic guide to assist in the installation of a composting model made within the Pedagogical Workshop for treatment of organic solid waste and production of agricultural inputs. This workshop is part of the Project activities. Productive Backyards, Agroecology and Food Safety in the Guará River Valley, São Desidério-BA, which aims to present and disseminate social technologies and sustainable practices for agroecological food production, recovery, soil conservation and treatment of solid organic waste in traditional Geraizeiras communities in western Bahia. Funding for the project is from CEPF Cerrado (Critical Ecosystem Partnership Fund), an international fund administered in Brazil by the IEB (International Institute of Education of Brazil), located in Brasília-DF. The technical responsibility lies with the Research and Extension Group: Geographic Education, Dialogue of Knowledge and Cerrado, from the Federal University of Western Bahia (UFOB), and has a partnership with the Bahia Polytechnic School Foundation (FEP-BA), responsible for financial management.

Access the version available at pdf.

 


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Documentary #8220; The Cerrado is a Piece of Me #8221;

via WWF-Brasil

The production and collection of native fruits of the Cerrado allow the conservation of the biome that has already lost 50% from the original area, as it keeps the native trees standing and curbs the deforestation of the area.

Since 2010, WWF-Brasil has encouraged the agroextractivism and the formation of cooperatives as an alternative to protecting the Cerrado. THE sustainable plant extractivism It generates income and quality of life for local communities, favoring the permanence of traditional peoples in rural areas and reducing rural-city migration.

Watch to the documentary & #8220; The Cerrado is a Piece of Me & #8221; and get to know stories of people who make it happen and honor this exclusively Brazilian biome.

With the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), WWF-Brasil executes the project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaicwhat Its purpose is to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic. One of the actions that has been developed in the project is the implementation of the strategy of strengthening community enterprises in the territory, focusing on the productive chain of sustainable extraction of native Cerrado flora.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Projects in the Cerrado received CEPF visit this September

Equipe de pesquisadores do projeto “Evitando a extinção do pato-mergulhão” reunida com o time do CEPF na área de ocorrência da espécie, na região da Chapada dos Veadeiros, Goiás, Brasil.

Neste mês de Setembro, alguns projetos que contam com apoio do CEPF Cerrado e que estão em fase de conclusão, receberam a visita da diretora e da gerente de subvenções do CEPF, Peggy Poncelet e Deborah Miller e do Time de Implementação Regional.

Alguns projetos visitados foram “Evitando a extinção do pato-mergulhão” and “Salvando a rolinha-do-panalto”, executados respectivamente pelo Instituto Amada Terra e SAVE Brasil, que trabalham para proteger espécies de aves criticamente ameaçadas e que ocorrem em ecossistemas únicos e frágeis no Cerrado. As ações voltadas ao pato-mergulhão visam evitar sua extinção na região da Chapada dos Veadeiros (GO), no intuito de avaliar seu habitat e hábitos de dispersão. Em relação à espécie rolinha-do-planalto, o objetivo do projeto é promover a conservação a longo prazo do Cerrado na área onde a espécie foi redescoberta.

O registro de novos indivíduos da espécie, a produção de conhecimento sobre as áreas onde ocorrem e envolvimento da sociedade

Equipe da SAVE Brasil, CEPF e IEB em visita à área de ocorrência da rolinha-do-planalto, região de Botumirim, Minas Gerais, Brasil. Foto: Acervo CEPF

nas ações de conservação, são alguns dos resultados atingidos até então por estes projetos em suas respectivas áreas e regiões de atuação.

Outro projeto que recebeu a visita de nosso time foi “Uso do geoprocessamento no manejo do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga-SHPCK”, que é executado pela própria Quilombo Kalunga Association (AQK) e visa implementar a melhoria e a consolidação da gestão ambiental do território, por meio de mapeamento e uso de tecnologia para garantir a melhoria na qualidade de vida de todos os moradores do território Kalunga e gerações futuras. *Localizado no norte/nordeste goiano, o Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga (SHPCK) possui uma área de 262 mil hectares, e compreende os municípios de Cavalcante, Teresina de Goiás e Monte Alegre onde residem mais de duas mil famílias, chegando a quase dez mil pessoas. O Kalunga é a maior comunidade remanescente de quilombo do Brasil, organizada em mais de 20 comunidades e 42 localidades. Até então, este projeto realizou capacitação de jovens Kalunga para o manuseio de tecnologias relacionados ao geoprocessamento, adquiriu equipamentos que ajudam na gestão de grande parte do território, proporcionou maior visibilidade ao trabalho desenvolvido pela AQK, fomentou novas parcerias e gerou dados inéditos sobre aspectos ambientais e sociais do território.

Mesa de abertura no IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado. Foto: A. Amaral / Acervo IEB.

Durante a visita ocorreu também o IX Meeting and Fair of the Cerrado People, evento promovido pela Cerrado Network, que conta com apoio do CEPF Cerrado para executar o projeto “Rede fortalecida, Cerrado conservado”. Na oportunidade, algumas instituições parceiras do CEPF Cerrado promoveram discussões importantes relacionadas à temas como gênero e território, comércio justo e solidário da cadeia do baru, gestão territorial e ambiental nas terras indígenas do Cerrado, conflitos socioambientais no MATOPIBA e a comercialização dos produtos agroextrativistas do Cerrado. Fique ligado, pois logo vamos publicar mais notícias sobre o desdobramento destas discussões durante o IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado. Confira nossos canais de comunicação para mais informações sobre os parceiros e sobre os projetos executados com apoio do CEPF Cerrado!


*Texto retirado do site http://quilombokalunga.org.br/info-visitantes/

The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Guide “Herbs and shrubs for restoration of the Cerrado: no-till” available on CEPF Cerrado website

Já está disponível aqui no site do CEPF Cerrado o guia “Ervas e arbustos para restauração do Cerrado: semeadura direta” de autoria de Alexandre Bonesso Sampaio, Jose Felipe Ribeiro, Gustavo Barros Rocha, Fabiana Souza and Lais Nehme e publicado pela Rede de Sementes do Cerrado.

Com apoio do CEPF Cerrado and International Institute of Education of Brazil, a Cerrado Seed Network executa os projetos  “Training in ecological restoration of the Cerrado”, which aims to train actors in restoration actions, as well as others involved in the restoration process, on the diagnosis of degraded areas, restoration planning, restoration techniques and monitoring of restoration results. And the project “Mercado de sementes e restauração: provendo serviços ambientais e biodiversidade”, que visa atuar nos principais elos da cadeia de produção de sementes nativas: os coletores de sementes, os diversos tipos de compradores de sementes e a interligação entre estes atores.

*A Rede de Sementes do Cerrado (RSC) foi constituída em 2004 e tem como objetivo principal a defesa, a preservação, a conservação, o manejo, a restauração, a promoção de estudos e pesquisas, e a divulgação de informações técnicas e científicas relativas ao Bioma Cerrado, especialmente no Brasil Central. A RSC busca o fomento da cadeia produtiva de sementes nativa de Cerrado, equilibrando a oferta e a demanda de sementes, alinhado a geração de renda para comunidades locais e tradicionais. Por meio de capacitações e divulgações de informações técnicas a RSC busca ampliar os conhecimentos e garantir a proteção, valoração e preservação deste bioma. Para isso, a RSC mantém parcerias com entidades não lucrativas e governamentais. Estas parcerias fizeram possíveis a criação, edição e lançamento deste guia. A RSC agradece a todos os parceiros: Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF), uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Européia, da Gestão Ambiental Global, do Governo do Japão, e o Banco Mundial; Instituto Caixa Seguradora, Cooperação Alemã – GIZ, Embrapa, Projeto Biomas, Serviço Florestal Brasileiro, Instituto Chico Mendes, Centro Nacional de Avaliação da Biodiversidade e de Pesquisa e Conservação do Cerrado, Universidade de Brasília, Instituto Internacional de Educação do Brasil, Associação de Coletores de Sementes da Chapada dos Veadeiros – Cerrado de Pé e Coletivo Restaura Cerrado.

Acesse o guia na versão pdf no nosso acervo.


*Texto retirado do prefácio do guia.

The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

Critically endangered Cerrado miner tree engages researchers and society for conservation

The faveiro-de wilson, cujo nome científico é Dimorphandra wilsonii Rizzini, da família das leguminosas (Fabaceae), é uma espécie ameaçada de extinção, categoria “Criticamente em Perigo de Extinção”. Ela é endêmica da região central de Minas Gerais, na transição do Cerrado para a Mata Atlântica, ou seja, não existe em nenhum outro lugar do mundo. Por ser tão raro, o faveiro-de-wilson é protegido pelo Decreto Lei no 43904/2004 de Minas Gerais. O faveiro-de-wilson chegou próximo da extinction devido à destruição das matas da região, principalmente nos últimos 60 anos. Até agora foram encontradas pouco mais de 300 árvores na natureza, e a maioria delas está isolada no meio de pastagens, onde tem grande dificuldade de se reproduzir. As árvores do faveiro-de-wilson podem ser encontradas também em capoeiras e matas, tanto nas baixadas quanto nas encostas e topos de morro*.

©Fernando Fernandes / Acervo SAFZB-BH

The project “Manejo e Proteção do faveiro-de-wilson” é executado pela Sociedade de Amigos da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte e recebe apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) It's from Brazilian International Institute of Education (IEB). O projeto teve início em novembro de 2017 e já conta com várias ações em andamento, dentre encontros, capacitações e visitas às áreas de ocorrência da espécie, atuando em uma extensão de 5.215 km², onde estão os 18 municípios de ocorrência do faveiro. “A execução do projeto na região tem propiciado, além do aumento de conhecimento, um aumento do grau de conscientização ambiental e maior engajamento na defesa do meio ambiente nas pessoas locais”, relata Fernando Fernandes, pesquisador e líder do projeto. Em dezembro de 2018, Fernando foi selecionado como finalista ao Prêmio Natureza Gerais, instituído pelo governo estadual por meio do pelo Conselho de Política Ambiental de Minas Gerais (COPAM) e recebeu uma homenagem ao seu trabalho em prol da conservação do meio ambiente.

©Acervo SAFZB-BH

Em dezembro do último ano foram semeadas 3.000 sementes da espécie no Jardim Botânico de Belo Horizonte (MG) e no viveiro Árvores Gerais, no município de Florestal (MG), visando a produção de mudas para a reintrodução do faveiro em suas áreas de ocorrência.

Veja o vídeo abaixo para saber mais sobre o trabalho da Sociedade de Amigos da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte com a espécie faveiro-de-wilson!


*Texto retirado do site da Sociedade de Amigos da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte.

The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

New climate smart investment arrangement aims to promote sustainable land and water use in the Cerrado region of Minas Gerais

texto original disponível via IUCN

Marcas globais de café e organizações ambientais apoiam um programa inovador liderado pelo Consórcio de Águas do Cerrado

Patrocínio, Minas Gerais, Brasil, 8 de agosto de 2019 – Um arranjo de investimento inovador e inteligente para proteger a biodiversidade e o fornecimento de água no planalto central do país começou este mês, de acordo com o Consórcio Cerrado das Águas, apoiado por algumas das principais marcas de café e organizações de conservação do mundo.

Com base em um projeto liderado pela IUCN e apoio inicial da Nespresso, as grandes marcas de café Nestlé e Lavazza e a trading Expocaccer, agora juntaram forças para firmar um compromisso de cinco anos para apoiar a iniciativa do Consórcio Cerrado das Águas na região do Minas Gerais Cerrado, uma das principais áreas de cultivo de café do Brasil e um hotspot de biodiversidade reconhecido mundialmente.

O Consórcio planeja investir na proteção dos ecossistemas naturais encontrados em 124 propriedades, ao longo da bacia do rio Feio, no estado de Minas Gerais, que está cada vez mais ameaçada pelo uso insustentável da terra, pelo uso ineficiente da água e pelas mudanças climáticas. A região é responsável por 12% da produção nacional de café.

“Promover a recuperação e conservação dos serviços ecossistêmicos como um seguro contra a mudança climática nessa importante paisagem é um dos principais objetivos do programa de investimentos”, diz Guilherme Amado, gerente da Nespresso no Brasil. “No local piloto em Patrocínio, onde todo o município e cafeicultores dependem dessa única bacia, os agricultores também terão uma visão clara da degradação dos serviços ecossistêmicos em suas fazendas e receberão aconselhamento profissional e financiamento para torná-los resilientes às mudanças climáticas”

“Sob o novo programa de investimentos, os proprietários de terra serão literalmente gerentes de ativos ambientais e suas decisões de proteger os principais serviços ecossistêmicos – como a vegetação nativa e córregos – contribuirão diretamente para a restauração da paisagem do Cerrado ”, diz Giulia Carbone, Diretora Adjunta do Programa de Negócios e Biodiversidade da IUCN.

No primeiro ano, as quatro empresas se comprometeram com quase US$ 100 mil para apoiar o Consórcio. Além disso, este recebeu uma doação de US$ 400.000, a maior até o momento, do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF Cerrado) para implementar o novo esquema, chamado de Programa de Investimentos para Produtores Conscientes. Este foi o maior subsídio já concedido pelo CEPF, que tem doadores, como a Agência Francesa de Desenvolvimento, a Conservação Internacional, a União Europeia, o Fundo Mundial para o Meio Ambiente, o Governo do Japão e o Banco Mundial.

Gláucio de Castro, Presidente do Consórcio Cerrado das Águas. Fotos: Acervo FUNDACCER

“A Lavazza acredita firmemente que a sustentabilidade é uma responsabilidade compartilhada e que a integração entre crescimento econômico, inclusão social e proteção ambiental é o único paradigma que pode criar valor. Como uma iniciativa de participação múltipla, o Consórcio Cerrado das Águas demonstrou por que as empresas precisam adotar uma abordagem de longo prazo e contribuir para o cenário mais amplo em que trabalhamos ”, afirma Mario Cerutti, Diretor de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Lavazza.

A região do Cerrado abrange 21% do país e 11 milhões de hectares estão no estado de Minas Gerais. Seu bioma é único, dado o número de espécies endêmicas. Além disso, a região fornece 40% da água doce do país, mas 29 das bacias hidrográficas estão em “áreas de conflito de água”, segundo o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM).

 “Promover a restauração e conservação dos serviços ecossistêmicos como um seguro contra as mudanças climáticas é um objetivo fundamental do programa de investimentos”, afirma o diretor sênior de Conservação Internacional do Brasil, Miguel Moraes. “Em Patrocínio, onde a comunidade e os cafeicultores compartilham a única bacia hidrográfica, os produtores poderão administrar o fluxo de água pela primeira vez. Os produtores também terão uma visão clara da degradação dos serviços ecossistêmicos em suas propriedades e receberão aconselhamento profissional e financiamento para ajudar a tornar esses serviços resilientes às mudanças climáticas ”.

Todos esses esforços são críticos para restaurar a paisagem e garantir que as cadeias de valor do café sejam sustentáveis. Como Peggy Poncelet, diretora de subsídios do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos diz: “O objetivo é alcançar a restauração livre de químicos com espécies nativas do Cerrado e fornecer aos produtores de café conhecimento sobre práticas agrícolas inteligentes e gestão de recursos hídricos para conciliar café sustentável, produção e conservação deste importante hotspot global para a biodiversidade. Por exemplo, parcerias com laboratórios agroecológicos locais, como a Emater (uma organização do setor público que oferece extensão rural), ajudarão a testar novas tecnologias para reduzir a incidência de ervas daninhas e doenças e, finalmente, restaurar a paisagem ”.

Sobre o Consórcio Cerrado das Águas

Criado em 2015, o Consórcio Cerrado das Águas, uma organização legalmente independente, é uma plataforma que reúne empresas, organizações da sociedade civil e representantes do governo com o objetivo de promover o desenvolvimento ambiental através da restauração da paisagem e manutenção dos serviços ecossistêmicos do Cerrado. Os membros do Consórcio incluem: CerVivo, Conservação Internacional, Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF), Cooxupé, Expocaccer, Federação dos Cafeicultores do Cerrado, UICN, Lavazza, Nespresso e Nestlé.

Para mais informações, acesse a página do Consórcio Cerrado das Águas no site da IUCN.

Área em restauração em Patrocínio, MInas Gerais.

Conscious Producers Awards Program - Restoring Cerrado Ecosystem Services

The project “Programa de premiação para produtores conscientes – restaurando serviços ecossistêmicos no Cerrado” é executado pela Fundação de Desenvolvimento do Cerrado Mineiro (FUNDACCER). O objetivo central do projeto é estabelecer e implementar uma estratégia para restaurar a provisão de ecosystem services na bacia do Córrego Feio a longo prazo, por meio de um processo de engajamento dos produtores e atores locais. A FUNDACCER é uma organização sem fins lucrativos criada pela Federação dos Cafeicultores para promover a pesquisa, capacitação e coesão social em 55 municípios do Cerrado mineiro. Esses produtores de café enxergaram a necessidade de agir para garantir uma segurança climática na região a longo prazo. Sendo assim, o Consórcio das Águas do Cerrado trabalha de forma colaborativa para construir cenários transformadores, que resultam em paisagens produtivas e sustentáveis com o objetivo de:

1. Melhorar as práticas de gestão do solo e da água.
2. Promover a restauração da vegetação nativa e conservação de corredores ecológicos em nível regional.
3. Facilitar o intercâmbio de informações, através de serviços de extensão técnica para agricultores, a fim de melhorar as práticas ambientais.
4. Incentivar e facilitar o processo de regularização legal das fazendas, buscando conformidade com o Código Florestal.
O projeto conta com apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB).

Saiba mais sobre o Consórcio Cerrado das Águas it's the Programa Produtor Consciente no vídeo abaixo:


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Riacho dos Machados Rural Workers Union launches reference term for contracting services in project supported by CEPF Cerrado

Foto: Aryanne Amaral / Acervo IEB

The project “Cuidando do Cerrado e Promover a Vida”, que é executado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Riacho dos Machados and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB), visa capacitar 70 famílias de agricultores(as) geraizeiros(as) das comunidades distribuídas no território de Riacho dos Machados (MG), que compõem a área prevista para a criação da Reserva de Desenvolvimento Suestetável Tamanduá e Poções.

O projeto lança o edital para contratação de empresa de consultoria especializada em gestão de recursos, boas práticas produtivas, inovação produtiva na agricultura familiar e processos de conservação de água, solo e produção de alimentos para execução de atividades ligadas ao projeto, de acordo com o termo de referência. Interessados devem enviar suas propostas até às 23h59 horas do dia 30 de agosto de 2019. Para mais detalhes sobre o processo seletivo, acesse o termo de referência.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Global coffee brands and organizations endorse innovative program led by Cerrado Water Consortium

via Notícias Agrícolas / Fonte: Consórcio Cerrado das Águas

Começará este mês um programa inovador de investimentos climaticamente inteligentes visando preservar a biodiversidade e o fornecimento de água na Região do Cerrado Mineiro, única Denominação de Origem para cafés no Brasil, importante fornecedora de cafés de alta qualidade, responsável por 12% da produção nacional de café.

A iniciativa é do Consórcio Cerrado das Águas, uma plataforma de diferentes atores (produtores, marcas de café, ONGs ambientais locais e globais) cujos esforços resultaram na fundação de uma organização legalmente independente com um time altamente especializado para promover o desenvolvimento ambiental, através da restauração, agricultura climaticamente inteligente e gestão eficiente de recursos hídricos. Baseado no apoio inicial da UICN – União Internacional para a Conservação da Natureza e Nespresso, as principais marcas de café, Nestlé e Lavazza, e a cooperativa Expocaccer se uniram para firmar um compromisso de cinco anos, para apoiar o Programa de Investimento no Produtor Consciente que reúne de forma coordenada estas três frentes de trabalho visando a melhoria da oferta e provisão de serviços ecossistêmicos de regulação  (saúde da água, solo, estoque de carbono entre outros) afim de alcançar a resiliência ou blindagem climática de uma paisagem ou território.

Gláucio de Castro, Presidente do Consórcio Cerrado das Águas. Fotos: Acervo FUNDACCER

No área piloto, o Córrego Feio em Patrocínio (MG), o Consórcio planeja investir na proteção dos ecossistemas naturais encontrados em aproximadamente 124 propriedades ao longo da bacia, a única a abastecer o maior município produtor de café no Brasil e um caso grave de escassez e conflito hídrico “O novo programa de investimentos fornecerá incentivos financeiros e expertise para que todos os proprietários de terras tornem seus ativos ambientais cada vez mais saudáveis e produtivos nessa importante bacia hidrográfica”, disse Giulia Carbone, Diretora do Programa de Negócios e Biodiversidade da IUCN. “Os proprietários serão literalmente e na prática os gerentes dos ativos ambientais, e suas decisões para proteger os serviços chave de ecossistemas – como florestas e rios – contribuirão diretamente à recuperação da paisagem do Cerrado.”

Este ano, as empresas se comprometeram com o investimento de US$100 mil para financiar o time do consórcio.  Além disso, em 2019, o Consórcio recebeu um subsídio de US$400 mil do Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos (CEPF) para implementar o programa. Este foi o maior subsídio, já concedido pelo CEPF, que conta com exigentes doadores como a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), União Europeia, Fundo Mundial para o Ambiente (GEF), Governo do Japão e Banco Mundial.

“O Consórcio Cerrado das Águas demonstrou porque as empresas precisam adotar uma abordagem em longo prazo e contribuir para a paisagem mais ampla onde trabalhamos.  Da mesma forma, o setor público tem que se comprometer a assegurar que essas soluções inovadoras sejam aumentadas e capazes de entregar benefícios duradouros à população da região.” Segundo Mario Cerruti, Diretor Global de Relações Institucionais e Sustentabilidade na Lavazza. Leia matéria completa no site Notícias Agrícolas!

Lançamento Cerrado Consórcio das Águas, Patrocínio, Minas Gerais, 08 a 09 de agosto de 2019. Fotos: Acervo FUNDACCER

The project “Programa de premiação para produtores conscientes – restaurando serviços ecossistêmicos no Cerrado” é executado pela Fundação de Desenvolvimento do Cerrado Mineiro (FUNDACCER). O objetivo central do projeto é estabelecer e implementar uma estratégia para restaurar a provisão de ecosystem services na bacia do Córrego Feio a longo prazo, por meio de um processo de engajamento dos produtores e atores locais. A FUNDACCER é uma organização sem fins lucrativos criada pela Federação dos Cafeicultores para promover a pesquisa, capacitação e coesão social em 55 municípios do Cerrado mineiro. Esses produtores de café enxergaram a necessidade de agir para garantir uma segurança climática na região a longo prazo. Sendo assim, o Consórcio das Águas do Cerrado trabalha de forma colaborativa para construir cenários transformadores, que resultam em paisagens produtivas e sustentáveis com o objetivo de:

1. Melhorar as práticas de gestão do solo e da água.
2. Promover a restauração da vegetação nativa e conservação de corredores ecológicos em nível regional.
3. Facilitar o intercâmbio de informações, através de serviços de extensão técnica para agricultores, a fim de melhorar as práticas ambientais.
4. Incentivar e facilitar o processo de regularização legal das fazendas, buscando conformidade com o Código Florestal.

Michael Becker, Coordenador da Estratégia de Implementação do CEPF Cerrado no lançamento Cerrado Consórcio das Águas, Patrocínio, Minas Gerais, 08 a 09 de agosto de 2019. Fotos: Acervo FUNDACCER

O projeto conta com apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Instituto Oca Brasil launches public notice for RPPNs Management Plans in a project supported by CEPF Cerrado

The project Creation and Integrated Implementation of Federal Private Reserves in the Chapada dos Veadeiros Region, que é executado pelo Oca Brazil Institute and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB), visa o fomento de novas Reservas Particulares do Patrimônio Natural – RPPN e a implementação de RPPNs no entorno do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

O projeto lança o edital para contratação de pessoas jurídicas de prestadores de serviços em Plano de Manejo, de acordo com o termo de referência. Interessados devem enviar suas propostas até às 18 horas do 25 de agosto de 2019. Para mais detalhes sobre o processo seletivo, acesse o termo de referência ou a página do Oca Brazil Institute.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

Community-based ecotourism in the quilombola community Furnas da Boa Sorte, MS advances with training and infrastructure

por WWF-Brasil e Instituto Mamede

Ecoturismo de base comunitária na comunidade quilombola Furnas da Boa Sorte, Corguinho/MS, avança com curso em comunicação e marketing e a instalação de placas sinalizadoras ao turista


Mais um encontro marcou o processo de implantação do Ecoturismo de Base Comunitária na Comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte, em Corguinho/MS.

Rica em paisagens deslumbrantes e biodiversity exuberante, o lugar de características prístinas, contagia e encanta o visitante, e não há falta de inspiração para o Ecoturismo. Tudo remete à natureza e interage com ela. A comunidade se localiza em área de transição entre Cerrado e Pantanal, cujo relevo singular, com morros e encostas providos pelo Planalto de Maracaju, ali se despede das altitudes mais elevadas e aos poucos vai se rendendo à planície de inundação pantaneira. Além da natureza, os visitantes têm a oportunidade de imersão na história e cultura da Comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte.

©Acervo Instituto Mamede

Desta vez, o módulo do curso de Ecoturismo de Base Comunitária – EcoTBC, na Comunidade trouxe o tema Comunicação e Marketing no Ecoturismo de Base Comunitária. O módulo foi ministrado

pela equipe do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, WWF-Brazil e ainda contou com a participação especial da Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul- FUNDTUR. Simone Mamede, coordenadora do curso de formação em Ecoturismo de Base Comunitária no Projeto Municípios Sustentáveis, afirmou que “o trabalho de Ecoturismo de Base Comunitária da Comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte vem sendo organizado a muitas mentes e mãos, envolvendo o protagonismo da comunidade, o apoio de profissionais da área do turismo, do meio ambiente e da sustentabilidade. A união de todos tem proporcionado os avanços na construção de um território mais sustentável para atuais e futuras gerações. Entre as ações norteadoras estão: o turismo responsável, o diálogo intergeracional, o respeito e a valorização da cultura quilombola, assim como o respeito pela natureza. Que continuemos semeando a sustentabilidade junto as atuais e futuras gerações”. Até o momento, foram realizados três módulos com os temas: EcoTBC: Planejamento e sustentabilidade; Produtos, serviços e roteiros em EcoTBC e o último realizado nos dias 12 a 14 de julho, sob o tema Comunicação e Marketing. Além do conteúdo relacionado à produção, estratégias de comunicação e divulgação, o curso abordou fotografia de natureza e sustentabilidade. Pelo relato de Maristela Benites, ministrante do curso de Ecoturismo de Base Comunitária – Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, “a experiência da construção do EcoTBC na Comunidade Quilombola Furnas da Boa tem sido muito especial. Cada passo desse processo é uma conquista, cheia de desafios, especialmente por se tratar de algo novo, mas, ao mesmo tempo, com muitas vitórias e descobertas. O sucesso do último módulo se deu não somente pelo conteúdo necessário e de qualidade à implantação dessa modalidade turística, mas por inaugurar definitivamente um destino turístico diferencial, rico em cultura e biodiversidade. As placas instaladas tem vários significados dentro dessa perspectiva, mas a mensagem principal transmitida é: “Turista, pode chegar que estamos te esperando”! Assim vamos construindo em favor de territórios sustentáveis”.

©Acervo WWF-Brasil

Neste módulo com o financiamento da União Europeia (“European Union”), foram instaladas placas de sinalização em algumas residências anfitriãs do EcoTBC e em alguns pontos na estrada. Famílias que estão participando desde o início do projeto, receberam placas indicativas dos serviços que oferecem ao turista, como: camping, hospedagem domiciliar (cama e café) e refeição. O curso foi especial e simbólico, pois definitivamente marcou a materialização do EcoTBC na comunidade quilombola, através da instalação das placas, as quais foram gentilmente patrocinadas pela União Europeia com apoio do WWF-Brasil. Para o Sr. Deoclides, integrante da comunidade, “o curso de Ecoturismo e a instalação das placas do Ecoturismo de Base Comunitária é uma forma de divulgar a comunidade, é uma forma de dizer que a comunidade quilombo da Boa Sorte existe”. 

Participaram do curso moradores da comunidade quilombola, universitários, gestores públicos, turismólogos, publicitários e microempresárias do turismo. Elizandra Dutra, turismóloga e aluna do curso de formação em Ecoturismo de Base Comunitária na comunidade quilombola, nos contou que “a dinâmica e a metodologia utilizadas no curso de Ecoturismo de Base Comunitária realizado na comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte possibilitaram uma melhor compreensão dos conteúdos abordados, permitindo a todos vivenciar na prática junto à comunidade todo conhecimento teórico, fortalecendo ainda mais o aprendizado”.

Os professores, Rodrigo Motta falou sobre marketing em redes sociais, Don Eaton sobre sustainable municipalities, Simone Mamede sobre ecoturismo de base comunitária, Geancarlo Merighi sobre Rota Turística Caminhos dos Ipês, Alexandre sobre produção audiovisual, Bolivar Porto sobre fotografia de natureza e Maristela Benites sobre sustainability. Os conteúdos se integraram harmonicamente. Com tanta inspiração proporcionada pela sociobiodiversidade local, não faltou matéria-prima para cada palestrante.

©Acervo Instituto Mamede

Ao final do curso, a comunidade nos brindou com produtos da terra, como: banana, mamão e mandioca, e produtos culinários por eles confeccionados: garapa, rapadura, melado, bolos e doces. Os produtos podem ser adquiridos na comunidade.

A Comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte é gestora do Ecoturismo de Base Comunitária e pode delinear seu próprio destino.

A iniciativa é apoiada pelo Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (Critical Ecosystem Partnership Fund) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), e executada por WWF-Brasil e Instituto Mamede, e integra o projeto “Municípios Sustentáveis, protegendo o berço das águas do Cerrado e as cabeceiras do Pantanal”. Além do turismo comunitário, o projeto abrange a coleta de sementes de espécies nativas do Cerrado para recuperação de áreas degradadas, o que permite constatar que as duas iniciativas integradas impactam positivamente e agregam valor às cadeias produtivas locais e regionais e mostram como é possível desenvolver sem destruir o Cerrado, mantendo estáveis os serviços ambientais providos pela natureza. Sustentabilidade assim se vislumbra quando comunidades são efetivamente envolvidas e beneficiadas, o ambiente é explorado de forma responsável e a economia prospera. De acordo com Don Eaton, coordenador do projeto, “além das maravilhas cênicas, os visitantes para Comunidade Quilombola Furnas de Boa Sorte podem relaxar e desfrutar da hospitalidade da comunidade e de suas comidas e artesanato tradicionais. As placas financiadas pela União Europeia e criadas pela comunidade ajudará a transformar o programa de turismo em uma fonte real de renda familiar enquanto preservar seu ambiente natural”.

©Acervo Instituto Mamede

Cada passo é uma conquista e mostra inegável avanço, fruto do empenho e união de todos. Aos poucos o sonho tem se tornado realidade e vamos avançando na construção de territórios sustentáveis!

Este módulo contou com a parceria da Fundtur (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul), em presença do diretor de desenvolvimento do turismo e de mercado – Geancarlo Merighi e do profissional Bolivar Porto. De acordo com Geancarlo, “os projetos de desenvolvimento do Turismo de Base Comunitária são considerados uma importante ferramenta pra diversificação de renda nas pequenas propriedades. Quando envolve comunidades especificas, como indígenas e quilombolas, o Turismo de Base Comunitária além de diversificar a renda, tem a capacidade de divulgar, além das belezas naturais, a cultura e o modo de vida tradicional deles, ou seja faz a Promoção do Ser Humano”.

O Instituto Mamede e WWF Brasil, agradecem e parabenizam todos os esforços da comunidade e parceiros que tem se unido a luta para a construção de territórios mais sustentáveis e de convivência harmônica com a natureza.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Project supported by IEB and CEPF Cerrado participates in Brazil Environmental Management Forum 2019

O coordenador do projeto Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado, Luiz Paulo Pinto, da equipe da Ambiental Ltda., participou do Fórum Brasil de Gestão Ambiental 2019 (FBGA 2019), realizado nos dias 26 a 28 de junho, em Campinas, SP. O FBGA foi idealizado pela Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente – ANAMMA, para o encontro de organizações públicas das várias esferas de governo, organizações não governamentais e empresas privadas. O objetivo do evento é a discussão, troca de informações e de experiências sobre diversos temas relacionados à gestão ambiental, especialmente na esfera municipal.

A programação da segunda edição do FBGA contabilizou mais de 6.000 inscritos e 30 eventos simultâneos em três dias de evento com palestras, seminários, workshops, debates, treinamentos, câmaras técnicas, rodadas de negócios, exposições tecnológicas e feira de negócios. Foram cerca de 500 representantes dos municípios entre prefeitos, secretários e técnicos municipais. O evento contou ainda com membros da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Luiz Paulo Pinto participou de um dos painéis da sessão “Diálogos sobre Áreas Protegidas Locais – ofertas de informação e capacitação para municípios”, organizada pelo projeto “Áreas Protegidas Locais”, conhecido como APLocais. O propósito desse painel foi fazer uma reflexão sobre as necessidades de capacidades dos municípios para fortalecer a gestão de áreas protegidas locais e os possíveis apoios da cooperação técnica em nível local. Foram apresentados os resultados do projeto “Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado” apoiado pelo CEPF Cerrado, incluindo um relato sobre o curso de criação e implementação de unidades de conservação municipais do Cerrado, realizado em Goiânia, no início de abril desse ano.

Sessão do Projeto Áreas Protegidas Locais no Fórum Brasil de Gestão Ambiental 2019. Foto: ©Robson Khalaf / ICLEI América do Sul.

O APLocais é um projeto do Ministério do Meio Ambiente do Brasil, Ministério do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Colômbia, Ministério do Ambiente do Equador e Ministério do Ambiente do Peru. O Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha (BMU, sigla em alemão) apoia o projeto por meio da Iniciativa Internacional para o Clima (IKI, sigla em alemão). A implementação nos quatro países é realizada pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). O projeto tem como objetivo contribuir para fortalecer a gestão ambiental e a governança dos governos locais para a conservação da biodiversidade em unidades de conservação municipais e outras medidas de conservação. A Ambiental Ltda. it's the CEPF Cerrado fazem parte do Grupo de Acompanhamento do APLocais.

A sessão “Diálogos sobre Áreas Protegidas Locais” promoveu debates também sobre a adequação das unidades de conservação municipais, a lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), o intercâmbio sobre casos exitosos de gestão e mecanismos de financiamento para unidades de conservação municipais e o lançamento da segunda edição da Publicação “Roteiro de Criação de Unidades de Conservação Municipais”.

The project Avaliação e Fortalecimento das Unidades de Conservação Municipais do Cerrado tem o objetivo de avaliar o cenário das unidades de conservação municipais do Cerrado para o fortalecimento das políticas de proteção local da biodiversidade, especialmente nos corredores prioritários desse hot spot. Este projeto conta com apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Grande Sertão Veredas National Park turns 30 years old

por Renata Andrade Peña via WWF-Brasil

A paisagem é espetacular: chega quando menos se espera. A água é em abundância: são veredas a perder de vista, rodeando cada canto que se olhe. Dela, sobrevivem centenas de espécies ameaçadas de extinção como a onça-pintada, o tamanduá-bandeira e o lobo-guará. Toda essa rica biodiversidade está protegida desde 12 de abril de 1989, quando 84 mil hectares formaram o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, em Minas Gerais. Hoje, o Parque faz 30 anos e o Cerrado agradece.

“Foi muito importante essa Unidade de Conservação ter sido criada numa região de expansão da fronteira agrícola, com intensa ocupação do agronegócio. Essa área protegida é muito importante para a biodiversidade do Cerrado e também para os recursos hídricos. Ali nasce o rio Carinhanha. Quando ele desemboca no rio São Francisco, o velho Chico aumenta em 20% o seu volume”, explica Kolbe Soares, analista de Conservação do WWF-Brasil.

Elson Barbosa dos Santos, guia no Parque, destaca a importância dos recursos hídricos e espécies medicinais do Cerrado, que ficam protegidas. “Embaixo da região do parque está o aquífero Urucuia, muito importante para a manutenção dos rios da região como o Carinhana, Itaguari e tanto outros.  Graças ao Parque também estão protegidas diversas espécies medicinais do Sertão”.

Autor: Aryanne Amaral/Acervo IEB

Em 2004, o Parque Grande Sertão Veredas foi ampliado e passou a ter mais de 230 mil hectares, estendo-se por parte dos municípios de Chapada Gaúcha, Formoso e Arinos, em Minas Gerais e Côcos, na Bahia. Assim, é atualmente um dos maiores parques do Cerrado, garantindo, além da proteção de centenas de espécies da fauna e flora, o desenvolvimento de pesquisa científica, educação ambiental, o contato com a natureza, o desenvolvimento regional em bases sustentáveis e a preservação dos povos tradicionais, comunidades indígenas, seus saberes e cultura.

A existência dessa área protegida também é uma oportunidade de desenvolvimento sustentável.“Há um enorme potencial de aumento do ecoturismo na região pelas suas belezas, pela possibilidade de se ver o Cerrado preservado e também por conta da cultura dos povos da região e literatura”, diz Kolbe Soares. “Na região, é realizado anualmente, no mês de julho, o Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas. É muito importante conservar essa riqueza cultural e social”, completa Soares.

“É um grande prazer falar dessa UC porque é falar da riqueza da biodiversidade e também de história das comunidades que ainda guardam as tradições culturais do povo do Sertão”, diz César Víctor, da Fundação Pró-Natureza (Funatura).

O Parque recebeu esse nome em homenagem a uma das mais importantes obras literárias brasileiras, o romance “Grande Sertão: Veredas”, escrito em 1956 por João Guimarães Rosa. No livro, o escritor mineiro retrata com extrema sensibilidade a realidade regional. Guimarães Rosa tem mesmo razão: “Sertão é isto: o senhor empurra para trás, mas de repente ele volta a rodear o senhor dos lados. Sertão é quando menos se espera”.

WWF-Brasil e o Parque Nacional Grande Sertão Veredas

O Parque Nacional Grande Sertão Veredas está localizado no norte/noroeste de Minas Gerais e sudoeste Bahia, abrangendo uma área de 231.668 hectares. Desde 2010, o WWF-Brasil desenvolve na região o Projeto Sertões com foco na melhoria da gestão de áreas protegidas, valorização de cadeias produtivas agroextrativistas com boas práticas agrícolas. Mais recentemente apoiaram o Parque e o Mosaico em parceria com o Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF em inglês).

Os trabalhos são realizados em parcerias com as cooperativas agroextrativistas e associações comunitárias do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, além de outras organizações não governamentais socioambientais e órgãos de governo, como as 12 prefeituras da região, além do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais.

No último ano, a construção de uma unidade de beneficiamento de frutos do cerrado e frutos de quintais no Núcleo Peruaçu e a criação da Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas do Vale do Peruaçu foram umas das ações mais importantes. Além disso, foi dado apoio para implementação do Cadastro Ambiental Rural na região que resultou no cadastramento de aproximadamente 10 mil propriedades. Outro destaque foi a realização de um estudo de análise da efetividade de 69 Unidades de Conservação estaduais de Minas Gerais.

WWF-Brasil executes the project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic, which aims to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic. This project is supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).

See the article in site from WWF-Brasil!

Service
O município de Chapada Gaúcha, em Minas Gerais, o ICMBio, a Funatura, o Instituto Rosa e Sertão e parceiros organizam uma programação de três dias – de 11 a 13 de abril – para comemorar o aniversário. Haverá diversas atividades com a comunidade local e visitantes como plantio de mudas, trilhas, exibição de vídeos e debates.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

The 2nd National Protected Areas Mosaic Workshop is held in Brasilia

Começou hoje em Brasília o II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas, que segue até o dia 13 de junho reunindo alguns representantes dos mosaicos reconhecidos no país. Atualmente existem 25 mosaicos reconhecidos no Brasil, sendo 16 em âmbito federal e 9 em âmbito estadual. O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF Cerrado), com o apoio do International Institute of Education of Brazil aporta recursos para projetos de conservação na região do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, que está localizado na região norte de Minas Gerais.

O II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas tem o objetivo de contribuir para o intercâmbio, discussões conceituais, embasamento legal e proposição de diretrizes que visam ampliar os avanços dos instrumentos de gestão territorial voltado às áreas protegidas, na conservation e na promoção do desenvolvimento sustentável, além de traçar estratégias para atuação conjunta do poder público, sociedade civil e terceiro setor. O evento é organizado pela Rede de Mosaicos de Áreas Protegidas (REMAP), que visa unir esforços de indivíduos e organizações públicas, privadas e coletivas com fins de fortalecer as iniciativas de conservação da natureza e promoção de bem estar e qualidade de vida humana em territórios protegidos e seu entorno.  O encontro também conta com apoio do Instituto Internacional de Educação do Brasil (lEB)/CEPF Cerrado, WWF-Brasil, Fundação Vitória Amazônia (FVA), WCS-Brasil, Instituto, Sociedade, População e Sociedade (ISPN); Fundação Pró-Natura (FUNATURA), Instituto Biotrópicos, Conservação Internacional (CI), SOS Mata Atlântica, Imaflora, Projeto Terra-Mar e Rede Brasileira de Reservas da Biosfera, entre outros.

II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas. Foto: Claudia Sachetto/Acervo IEB

THE programação deste primeiro dia foi focada nos painéis, que envolveram temas como panorama geral sobre Mosaicos e reservas da Biosfera, uso dos recursos naturais, proteção integrada e oportunidades sociais. A partir de amanhã o encontro continua com alguns painéis de discussão,  trabalho em grupos temáticos por bioma e nas plenárias.

Mais informações nos sites do WWF-Brazil and Imaflora!

Anote aí:

II Workshop Nacional de Mosaicos de Áreas Protegidas

Quando: De 11 a 13 de junho, a partir das 8h

Onde: Edifício ParlaMundi da LBV, Brasília

Quanto: Acesso gratuito


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Approved in Goiás the first internal regulation of a quilombo in Brazil

Iniciativa da Associação Quilombo Kalunga será modelo para outras comunidades quilombolas

por Associação Quilombo Kalunga

THE Quilombo Kalunga Association (AQK) finalizou em maio a elaboração do regimento interno, um projeto pioneiro em nível nacional. O regimento interno estabelece normas para a gestão ambiental e territorial do Kalunga Historical Site and Cultural Heritage (SHPCK), para o reconhecimento da ascendência e da remanescência Kalunga, e para a exploração do turismo no território. O SHPCK é considerado o maior território de quilombo no Brasil, com 261.999,69 hectares, e fica localizado na região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

Vilmar de Souza Costa faz a abertura da Assembleia de Representantes das Comunidades Kalunga para elaborar o Regimento Interno da Associação Quilombo Kalunga. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

De 18 de março a 12 de maio foram realizadas 14 assembleias, que envolveram todas as 39 comunidades Kalunga e contaram com a participação de mais de mil pessoas. Nestes encontros foram debatidos os pontos mais importantes que, no entendimento dos presentes, deveriam constar do regimento interno, sendo por eles eram votados e aprovados os conteúdos. Nestas assembleias também foi sendo amadurecida a criação de um Conselho de Representantes da AQK, um colegiado formado por três representantes de cada comunidade local e que passava a integrar a direção da Associação Quilombo Kalunga.

Nos dias 23 a 26 de maio foi realizada a Assembleia de Representantes eleitos nas reuniões das comunidades, na sede da Associação Kalunga de Cavalcante. Foram momentos de intensos debates de cada artigo e de cada parágrafo, sendo, ao final, aprovado.

De acordo com Vilmar Souza Costa, presidente da Associação Quilombo Kalunga, o regimento interno é de essencial importância para regulamentar as relações existentes dentro do território, sempre respeitando os costumes, os saberes e as tradições do povo Kalunga. “A criação do nosso regimento é mais uma demonstração da capacidade do povo Kalunga de se organizar, de defender e de gerir seu território. Construímos de forma coletiva e participativa as nossas próprias normas, que serão seguidas por todo o nosso povo”, afirma Costa.

Maria Aparecida Mato, diretora-executiva da CONAQ – Coordenação Nacional de Articulações das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Brasil – participou de uma das 14 assembleias e enalteceu a importância das normas e a cultura de um povo quilombola serem colocadas no papel, como uma prova escrita e concreta de tudo que está estabelecido. “Este é o primeiro quilombo do Brasil a criar um regimento interno. É um exemplo e um modelo que será seguido por várias outras comunidades quilombolas do Brasil”, revela.

Geoprocessamento e preservação nas assembleias

Outro tema das assembleias foi o projeto “Uso do Geoprocessamento na Gestão do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga – SHPCK”, fomentado pelo Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, da sigla em Inglês para Critical Ecosystem Partnership Fund) and with support from Brazilian International Institute of Education (IEB)O projeto tem como objetivos conhecer com profundidade a realidade das comunidades Kalunga, usar a tecnologia de geoprocessamento  para mapear detalhadamente o território, promover a ocupação do SHPCK de uma forma mais sustentável e fazer com que os Kalunga sejam reconhecidos internacionalmente como defensores da conservação da biodiversidade.

Representando o CEPF/IEB, Michael Jackson faz pronunciamento sobre a importância da organização do povo Kalunga para realizar a gestão ambiental e territorial. Foto: Maria Lúcia Godinho/Acervo AQK.

Desde janeiro está sendo feito o levantamento e o cadastro socioeconômico dos moradores do SHPCK, com a meta de participação de todas as 1,5 mil famílias quilombolas. Terminado o levantamento, será feita a associação dos levantamentos de campo com a base cartográfica e o mapeamento temático realizado por meio de geoprocessamento e sensoriamento remoto. Será feito também o levantamento cadastral das atividades de garimpo, retirada ilegal de madeira e pesca predatória, e dos atrativos turísticos.

As assembleias ainda tiveram como foco a mobilização das famílias quilombolas sobre a importância da conservação da biodiversidade em todo o território. Para isso, foram confeccionados 4 mil calendários, que foram entregues nas casas Kalunga, além de pessoas e de locais estratégicos dos municípios de Alto Paraíso, Cavalcante, Campos Belos, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás. Também foram confeccionados banners, fixados em todas as escolas municipais, estaduais e particulares nos cinco municípios.

De acordo com o levantamento prévio feito pela Associação, há 19 espécies localmente ameaçadas encontradas na região. As espécies-alvo de conservação foram priorizadas de acordo com o critério de grau de ameaça, focado em espécies que enfrentam risco extremamente elevado de extinction na natureza, exigindo ações urgentes de conservação.

Sobre a Associação Quilombo Kalunga

A Associação Quilombo Kalunga é uma organização civil, sem fins lucrativos e sem finalidade econômica, fundada em outubro de 1999. É constituída pelas Associações Kalunga de Cavalcante, de Monte Alegre, de Teresina e do Engenho II, além da Epotecampo. Ela representa o maior território de quilombo no Brasil, com 262 mil hectares de terras. A Associação promove a defesa de interesse de todas as comunidades formadas por moradores do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga (SHPCK), espalhados entre os municípios goianos de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás, e representá-las em todas as instâncias legais e administrativas.

Mais informações:

Telefone: (62) 3494-1062

Email: aqkalunga@gmail.com

Facebook gives Aqk.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

How important is the Cerrado for global biodiversity?

Cerrado It is the largest hotspot in the Western Hemisphere, covering over 2 million km² in Brazil and smaller parts (around 1%) of Bolivia and Paraguay. The Cerrado biome is the second largest biome in South America, covering an area of 2,039,386 km², 24% of Brazil.

 

 

Recognized as a hot spot global biodiversity, the Cerrado stands out for its abundance of endemic species, housing approximately 12,070 cataloged native plant species, of which 34,9% (4,208) are endemic¹. The Cerrado contains 13.4% of all plant species in the neotropical region and 1.5% of all plant species in the world. The great diversity of habitats results in remarkable transitions between different vegetation types. A total of 251 species of mammals live in the Cerrado, along with rich avifauna, which comprises 856 species. The diversity of fish (800 species), reptiles (262 species) and amphibians (204 species) is also high. For these reasons, in biological terms, the Cerrado is considered one of the richest tropical savanna regions in the world².

Mauritia flexuosa, buriti / © Bento Viana. ISPN Collection

In addition to its environmental specificities, the Cerrado It also has great social importance. Many people depend on the natural resources that the biome offers to survive with quality of life, including indigenous groups, quilombolas, generators, riverine and babaçu coconut breakers, which are part of Brazil's historical and cultural heritage and share traditional knowledge of biodiversity. More than 220 species are known for medicinal use and many native fruits are regularly consumed by locals and sold in urban centers such as pequi (Caryocar brasiliense Cambess.), Buriti (Mauritania flexuosa Lf), mangaba (Hancornia speciosa Gomes), Cagaita (Eugenia dysenterica (Mart.) DC.), Bacupari (Salacia crassifolia (Mart. Ex Schult.) G.Don), araticum (Annona crassiflora Mart.) And baru (Dipteryx alata Vogel).

However, numerous species of plants and animals are threatened or at risk of extinction. It is estimated that 20% of native and endemic species are not protected by any of the legal protected areas and at least 339 species of animals that occur in the Cerrado are threatened with extinction, according to official lists. After the Atlantic Forest, the Cerrado is the Brazilian biome that suffered the most from human occupation. It is this combination of conditions, high biodiversity and high degree of threat from habitat loss that has made these two biomes a priority for investment in biodiversity conservation and ecosystem services.

Despite the threats, knowledge about the biodiversity Cerrado has evolved significantly in the last decade. However, many gaps that still exist suggest the need for greater investments in inventories and studies for different biological groups³. Research shows that between 1998 and 2008, 1,300 new vertebrate species were described by scientists in Brazil4. Of these, 347 vertebrate species were found in Cerrado sites, 222 new fish species, 40 amphibians, 57 reptiles and 27 mammals. These revealing numbers reinforce the colossal biological relevance of the Cerrado.

Merganser / © Marcelo Ismar Santana. Amada Terra Institute Collection

With these data we have no doubt about the biological importance from the Cerrado. The size of this hotspot, the complexity of its environmental heterogeneity, the high levels of species endemism and the imminent threats pose a major challenge regarding the conservation of its biodiversity and ecosystem services, as well as the promotion of more sustainable development in the region. , including inhabitants living in close contact with nature.

The Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, in English for Critical Ecosystem Partnership FundIt has been working since 2000 to ensure the participation and contribution of civil society in the conservation of some of the world's biologically rich but currently threatened ecosystems. The goal is to promote conservation in high priority biological areas and on a landscape scale. In 2013, the CEPF Donor Council selected the Cerrado as one of hotspots Priorities for conservation promotion investments between 2016 and 2021. To ensure that the CEPF strategy has a significant impact on biodiversity conservation in the hotspot, some investments focus on certain priority species and regions. In this sense, CEPF Cerrado works with a specific support line for the protection of threatened species in the hotspot, where six priority species among the 1,593 considered vulnerable or irreplaceable species were selected for investments. Learn about the species and projects that work to support their protection and conservation in the Cerrado:

Class Family Species Project
Magnoliopside Cactaceae Uebelmannia buiningii Ecology and recovery of Uebelmannia buiningiiJurumi Institute
Magnoliopside Fabaceae Dimorphandra wilsonii (wilson's faveiro) Handling and protection of wilson's faveiro – Society of Friends of the Belo Horizonte Zoo-Botanic Foundation
Birds Columbidae Columbina cyanopis (Plateau Roller) Saving the plateau roller and its unique habitat in the CerradoSAVE Brasil
Birds Thraupidae Sporophila maximiliani (pointed) Reintroduction of bicudo in key areas for the conservation of the CerradoAriramba Institute
Birds Anatidae Mergus octosetaceus (Merganser) Avoiding the Merganser Extinction Amada Terra Institute
Amphibia Hylidae Phyllomedusa / Pithecopus ayeaye Conservation of Pithecopus ayeaye, related species and their ecosystemsAraguaia Institute

 

Columbina cyanopis, Plateau Roller / © Ciro Albano. SAVE Brazil Collection

For the Cerrado, these six species which are highly threatened globally and have a National Action Plan (PAN), or are part of a regional, have been prioritized for CEPF investments. Through coordination with the National Action Plan Support Groups (GAPANs), priority actions established in the NAPs related to these priority species were identified. CEPF funding has also sought to support the implementation of these actions, especially those related to habitat management and protection. CEPF Cerrado's main objective is to improve the conservation status of these species.

The Critical Ecosystem Partnership Fund CEPF Cerrado it's the International Institute of Education of Brazil (IEB) work to contribute to the protection of these species and the conservation of the Cerrado by supporting projects in different regions of the biome. This support provides incentives for expansion and creation of protected areas, protection of endangered species, support for restoration and environmental monitoring, among others. The goal is to promote conservation in high priority biological areas and on a landscape scale. From this perspective, CEPF identifies and supports a regional approach, involving a wide range of public and private institutions to address conservation needs through coordinated efforts. CEPF is a joint program of the French Agency for Development, Conservation International, the European Union, the Global Environment Fund (GEF), the Government of Japan and the World Bank to provide funding for the protection of unique and endangered ecosystems - known. also as hotspots of biodiversity.

Learn more about our actions in the Cerrado in http://cepfcerrado.iieb.org.br/lista-projetos/!


Text taken from the Critical Ecosystem Partnership Fund. 2017. Ecosystem profile: Cerrado biodiversity hotspot. Org. Sawyer, D. et al., Brasilia, DF: Supernova.

References:

ORFORZZA, RC et al. New Brazilian floristic list highlights conservation challenges. Bioscience, Oxford, v. 62, p. 39-45, 2012.

²MITTERMEIER, RA et al. Hotspots revisited: Earth's biologically richest and most endangered terrestrial ecoregions. Washington, DC: Cemex, 2004.

³ SON-SON, J. et al. Evolution of knowledge and conservation of the Brazilian Cerrado. In: DINIZ, IR et al. (Org.). Cerrado: quantitative scientific knowledge as a subsidy for conservation actions. Brasilia: Thesaurus, 2010. p. 13-31.

4CAVALCANTI, RB et al. Thick. In: SCARANO, FR et al. (Org.). Brazilian biomes: portraits of a plural country. Rio de Janeiro: House of the Word; CI, 2012. p. 56-91.

 

Urban Municipal Conservation Units in the Cerrado

by Luiz Paulo Pinto, Environmental 44 Information and Projects on Biodiversity Ltda.

At municipal conservation units constitute one of the pillars of the strategies for biodiversity conservation of the Cerrado by playing a key role in connecting the natural landscape, protecting populations of native fauna and flora species, and maintaining essential environmental services for the population such as water supply, heatwave moderation, and providing spaces for recreation and recreation, just to name a few. At the same time, protected areas are getting closer to urban environments, and the strong pressure of the urbanization process and the needs of large city populations across the country amplify the challenges for reconciling biodiversity protection and development. urban infrastructure with its social, economic and environmental implications.

Course participants & #8220; Creation and management of urban municipal conservation units in Cerrado & #8221; in Goiânia (GO). Photo: Environmental Collection 44 Ltda.

For this, it is essential to have trained personnel in the creation and management of an integrated network of protected spaces maintained by municipalities. This was the purpose of the course. “Creation and Management of Cerrado Urban Conservation Units”, which took place in April, in Goiânia, GO. The conceptual, technical and legal aspects that underlie the planning and implementation of municipal conservation units, based on an integrated view of the territory and participatory management, were addressed. The training explored the main practical challenges of the process of setting up municipal conservation units in the urban and periurban context with a vision of the new agenda on biodiversity and sustainable cities. Participants included city and state managers, NGOs, self-employed professionals and members of the academy. The course was a partnership between Environmental 44 Information and Projects on Biodiversidade Ltda., MvB Consultores Associados Ltda. it's the Image Processing and Geoprocessing Laboratory (LAPIG), linked to the Institute of Social and Environmental Studies (IESA) of the Federal University of Goiás (UFG), and was taught by urban architect and environmentalist Miguel von Behr, master in urban and regional planning with extensive experience in conservation units in various regions of Brazil.

The initiative was supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, in English for Critical Ecosystem Partnership Fund) and Brazilian International Institute of Education (IEB), the National Association of Municipalities of the Environment (ANAMMA), the Goiana Association of Municipalities (AGM), the Municipal Environment Agency of Goiânia, and the project “Protected Areas and other conservation measures based on areas at the government level. local ”. This initiative, also known as “Local Protected Areas” (https://www.giz.de/en/worldwide/69389.html) is a project of the Ministry of Environment (MMA) of Brazil, Ministry of Environment and Sustainable Development (MADS) of Colombia, Ministry of Environment (MAE) of Ecuador and Ministry of Environment (MINAM) of Peru. Germany's Federal Ministry of Environment, Nature Protection and Nuclear Safety (BMU) supports the project through the International Climate Initiative (IKI). Implementation in the four countries is carried out by Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbHby ICLEI & #8211; Local Governments for Sustainability and the International Union for Conservation of Nature (IUCN).

Knowing the Municipal Conservation Units

The course was part of the project “Evaluation and Strengthening of the Cerrado Municipal Conservation Units”, which aims to measure the representativeness and importance of municipal conservation units for the protection of biodiversity and environmental services in the Cerrado. Given that conservation takes place at the local scale, greater visibility of municipal protected areas can strengthen an official local protection agenda, highlighting and stimulating the development of capacities and financial resources to improve the effectiveness of existing units, and stimulate the expansion of the area and the number of protected spaces managed by the municipalities.

The project is supported and funded by CEPF Cerrado, which is a fund created to support biodiversity conservation actions and projects, especially by civil society organizations, in regions of high biological importance in the world. The Fund is partnered by international institutions - French Development Agency, International Conservation, European Union, Global Environment Fund (GEF), Government of Japan and World Bank. In Brazil, CEPF is implemented by the Brazilian International Institute of Education (IEB), a Brazilian institution dedicated to training and training people, as well as strengthening organizations in the areas of natural resource management, environmental and territorial management and other sustainability-related topics. To learn more about CEPF Cerrado, visit: http://cepfcerrado.iieb.org.br/

 

For more information:

Luiz Paulo Pinto, Environmental 44 Information and Projects on Biodiversity Ltda., E-mail: luizpaulopinto10@gmail.com; cel. (31) 98209-8989

Miguel von Behr, MvB Consultores Associados Ltda., E-mail: miguelvonbehr2@gmail.com; cel. (61) 99840-734

 

Ambiental 44 Information and Projects in Biodiversidade Ltda. - Company based in Belo Horizonte, MG, with the objective of providing services and technical advice on projects for creation, management and management of protected areas, regional planning for biodiversity conservation, training and social mobilization, among other topics related to conservation and sustainability. .

MvB Consultores Associados Ltda. - The company, based in Brasilia, DF, specializes in coordinating training courses for the management of protected areas throughout the country.

LAPIG (Laboratory of Image Processing and Geoprocessing) - Linked to the Institute of Social and Environmental Studies (IESA) of the Federal University of Goiás (UFG), since 1994 LAPIG offers disciplines of remote sensing, digital cartography and geographic information systems for different courses and institutes of UFG, besides having strong performance in research linked to teaching and extension activities.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Projects supported by IEB and CEPF Cerrado presented their results at the Brazilian Symposium on Remote Sensing

No período de 14 a 17 de abril foi realizado na cidade de Santos – SP o XIX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR). Dentre as várias atividades do Simpósio, ressalta-se a Sessão Temática intitulada “Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAS): Sensores e Aplicações”, coordenada pelos parceiros do CEPF Cerrado, Dr. Gustavo Manzon Nunes, da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e Dr. Manuel Eduardo Ferreira, da Universidade Federal de Goiás (UFG)/LAPIG. Além das palestras dos doutores Gustavo e Manuel, a sessão contou com a participação de Eben Broadbent (USA, Universidade da Flórida) e Victória González-Dugo (Espanha, IAC/ CSIC, Córdoba), que apresentaram resultados de pesquisas com o uso de sensores LiDAR, hiperespectrais, multiespectrais e termais embarcados em drones, além de abordar as principais técnicas e algoritmos de processamento utilizados para mapeamento e tomada de decisão.

Palestra do Dr. Gustavo Nunes no XIX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR). Foto: acervo LabSensoR.

O Dr. Gustavo coordena o projeto “Mapeamento de Recursos Hídricos do Corredor da Chapada dos Guimarães” que conta com apoio do Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB). No evento, Gustavo apresentou resultados preliminares obtidos com a utilização de dados de satélites, câmeras digitais e sensores multiespectrais integrados em Plataformas Aéreas Não Tripuladas (RPAS), visando o mapeamento e diagnóstico de recursos hídricos e de áreas úmidas (Veredas, Campos Úmidos, Brejos, etc.) existentes em 3 áreas-chave para a biodiversidade (KBAs) no Corredor da Chapada dos Guimarães (Parque Nacional Chapada dos Guimarães-PNCG). Em síntese, sua pesquisa visa a identificação e delimitação de áreas de veredas e mapeamento de espécies invasoras, a partir de dados de altíssima resolução espacial e espectral, além da contribuição junto aos gestores do ICMBio, que auxiliará no Plano de Manejo Integrado do Fogo do PNCG.

O Dr. Manuel que coordena o projeto “Plataforma de Conhecimento do Cerrado”, que é executado pelo Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (LAPIG) e também conta com apoio do CEPF Cerrado e do IEB, apresentou os resultados preliminares de sua pesquisa realizada na Bacia Hidrográfica do Rio Vermelho (GO), a qual inclui o uso de múltiplas plataforma aéreas (multi-rotor e asa-fixa) equipadas com diferentes sensores imageadores, visando registrar medidas biofísicas/alométricas do bioma Cerrado. Em outra sessão do SBSR, voltada para as “Novas Plataformas de Bases de Dados”, Manuel apresentou a palestra “Plataforma de Conhecimento do Cerrado: uma proposta de gestão para um bioma crítico e ameaçado”, demonstrando a importância deste projeto, como forma de agregar e disseminar informações geográficas sobre o Cerrado, geradas por inúmeros projetos, muitos destes apoiados pelo CEPF Cerrado e IEB.

Participação do Dr. Manuel Ferrerira no XIX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR). Foto: acervo LAPIG.

The LabSensoR – Laboratório de Sensoriamento Remoto e Geotecnologias é coordenado pelo Dr. Gustavo Manzon Nunes, professor associado da Faculdade de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus de Cuiabá.  O LabSensoR é associado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas Úmidas (INAU/CNPq-UFMT) e realiza pesquisas relacionadas ao mapeamento e análise de áreas úmidas. No laboratório são realizadas pesquisas na área de Geotecnologias, com ênfase em utilização de Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas de asa fixa e multirotores. Também são desenvolvidas análises envolvendo processamento processamento digital de imagens,  processamento digital de dados RADAR, comportamento espectral da vegetação, classificação digital através de técnicas hiperespectrais, análise via geoprocessamento, sistemas de informações geográficas, análise ambiental e ordenamento territorial.

The Image Processing and Geoprocessing Laboratory (LAPIG) está vinculado ao Instituto de Estudos Socioambientais (IESA) da Universidade Federal de Goiás (UFG). As suas atividades foram iniciadas em 1994 e contribuíram desde então com a elaboração de diversas monografias, dissertações e teses, além da oferta de disciplinas de sensoriamento remoto, cartografia digital e sistemas de informações geográficas. Em 2010, deram início aos “Geocursos”, um projeto de extensão que oferta cursos de curta e média duração no âmbito das geotecnologias, oferecidos para a comunidade em geral. A pesquisa configura‐se como uma importante frente de atuação com vistas à produção e/ou organização de dados geográficos e documentais voltados ao monitoramento territorial e ambiental dos biomas brasileiros e respectivas paisagens naturais e antrópicas.


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

WWF-Brasil will promote course for creation of conservation and conflict management units of Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic

O WWF-Brasil no âmbito do projeto Strengthening of integral territorial management in the specially protected areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic irá promover o curso “Criação de unidades de conservação e gestão de conflitos nas áreas protegidas do Mosaico Sertão-Veredas Peruaçu”, entre os dias 21 e 24 de maio (2019) no SESC de Januária, Minas Gerais. A carga horária será de 24 horas.

O projeto que é executado pelo WWF-Brazil and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), Its purpose is to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic.

Na programação estão previstos aspectos conceituais sobre as conservation units, palestras sobre os conflitos pelo uso do território no Mosaico e uma visita técnica ao Parque Municipal Urbano Ecológico e Cultural Salustriano, em São João das Missões (MG).

Para mais informações, entre em contato com o WWF-Brazil!


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

Meeting promotes strengthening of Municipal Environmental Councils in Mato Grosso do Sul

The project Union of Pro-Cerrado COMDEMAS, which is run by Neotropic Foundation of Brazil and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), Its objective is to strengthen the Municipal Environment Councils (COMDEMAs) to support local decisions that contribute to the conservation of the Cerrado and to the achievement of global biodiversity conservation goals.

In order to empower the council on conservation issues to propose public policies for the protection and conservation of the Cerrado, Neotropic Foundation of Brazil in partnership with WWF-Brazil and Mamede Institute, will promote next Monday (13)at 8.30 am '1st Meeting of Miranda-Bodoquena Corridor COMDEMAS' at Sebrae, located on Cel. Pilad Rebua, 2480, in Bonito, MS. Interim Executive Superintendent of the Neotropic Foundation of Brazil, Rodolfo Portela Souza, reports that “the intention is to promote the strengthened and integrated action of the representatives of the Municipal Environment Councils of the municipalities inserted in the Miranda-Serra da Bodoquena Corridor; so that they can contribute to the fulfillment of global goals for the conservation of the Cerrado biome ”. During the event, Carlos Alexandre Silva, president of National Federation of Environment Councils (FECONDEMA), will give the lecture 'Importance of Environment Councils in Municipal Environmental Management - Environment Fund as a Resource for Effective Public Policies - Atlantic Forest Municipal Plan as a Guideline for Sustainability of Local Biomes'.

The project activities Union of Pro-Cerrado COMDEMAS started in 2018. Since then, 72 people have been mobilized by actions in the municipalities that are part of the Miranda-Bodoquena Corridor and have an incidence on biomes Cerrado, Pantanal and Atlantic Forest in Mato Grosso do Sul. The first action organized by (COMDEMAS) was to make a diagnosis on the legal status of the councils in the municipalities covered by the project. Rodolfo Portela Souza reports that these surveys were conducted through the promotion of participatory methodologies, as well as the training of counselors, aiming to level the knowledge based on positive actions for the conservation and management of the Cerrado in the Project's region of operation. “The result is being positive. During this period we were able to train and strengthen the councils that were already active, revive some that were inactive and start the mobilization process for the creation of these councils in municipalities that do not have this collective ”, he explains.

See the full article on site of the Journal Now MS!

For more information, contact the Neotropic Foundation of Brazil!


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

Workshop on production and marketing of agro-extractive products from the Cerrado

The project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaicwhich is performed by WWF-Brazil and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), Its purpose is to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic.

In order to underline the importance of sustainable extraction of sociobiodiversity Cerrado, a traditional practice already widespread in the biome and one of the main alternatives to maintain “Cerrado standing”, WWF-Brazil in partnership with the Society, Population and Nature Institute (ISPN), Central Cooperative of the Cerrado, with support from CEPF Cerrado and International Institute of Education of Brazil, will hold the Cerrado Socio-Biodiversity Products Production and Marketing Workshop.

THE workshop aims to identify and give visibility to the contributions of different approaches to the development of Cerrado productive chains, in order to overcome challenges and articulate with the public authorities, besides starting a process of reflection, knowledge exchange and learning in the aspects related to “Production and Marketing” of agro-extractive products. The workshop will also be a space for organizing discussion forums for integration with the programming of the IX Meeting and Fair of the Cerrado People.

 

Contacts:

kolbesantos@wwf.org.br

luis@centraldocerrado.org.br

rodrigo@ispn.org.br


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

The fruits of the Cerrado available in São Paulo

By Renata Andrada Peña via WWF-Brasil

From now on, cassava flour, sesame, monkey pepper, indaiá coconut flour and two varieties of pestle rice are now part of the set of products regularly offered in the biomes box, opened in 2016 at the Pinheiros Municipal Market, in Sao Paulo. They combine with baru nuts, saffron, jatoba flour, honey, jabuticaba jelly and pequi, among others. Cerrado delights also available for sale in the state capital.

The news has just been released by Kalunga families (Brazil's largest Quilombola territory, located in Goiás, in the Chapada dos Veadeiros region), The Atá Institute and the Cerrado Central, with the support of WWF-Brazil, the Banco do Brasil Foundation and the United Nations Food and Agriculture Organization (FAO). All new products are the result of cultivation and agro-extractivism in the Cerrado and are part of the gastronomic culture of traditional quilombola peoples.

The products are marketed by Cerrado Central, a nonprofit cooperative center established in Brasilia and composed of 35 community organizations from seven Brazilian states (MA, TO, PA, MG, MS, MT and GO) that develop productive activities based on the sustainable use of the biome's biodiversity. The Cerrado has the potential to harness more than 200 different kinds of native plants, according to research from the University of Brasilia (UnB).

Buriti

According to Luis Carraza, coordinator of the Cerrado Central, this partnership with WWF-Brasil was very important and served to strengthen and expand the production and marketing of native Cerrado products. “Through this support, specific work has been done with our affiliated organizations to prioritize some of the Cerrado fruit production chains such as pequi, baru and jatobá, in order to guarantee production stocks that can supply the consumer market. which is increasing considerably each year, ”says Carraza.

In addition to promoting the dissemination and insertion of sustainable use products in local markets, regional and international & #8211; export of pequi to Japan, chestnut from baru to the United States and handicrafts of Golden grass for France & #8211; Cerrado Central is also a center for the dissemination of information, exchange and technical support for communities in improving their production, organizational and management processes.

WWF-Brazil has been supporting the Cerrado Central since 2018 with actions focused on sustainable plant extractivism of the fruits of the biome and in structuring and strengthening the productive chains of native fruits. This project is supported by WWF-France, the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF) Critical Ecosystem Partnership Fund) and the Humanize Institute.

See the article in site from WWF-Brasil!

Service
Anyone who wants to be surprised by the delights of the Cerrado should visit the box biomes:
Pedro Cristi Street, 89
Pinheiros Municipal Market
Box of Biomes (BOX 28)
Monday to Saturday from 8am to 6pm

 

WWF-Brasil executes the project Strengthening Integral Territorial Management in the Specially Protected Areas of the Sertão Veredas-Peruaçu Mosaic, which aims to integrate and strengthen the management of the specially protected areas of the Mosaic. This project is supported by the Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

Cerrado: territorial strategies and perspectives for the coming years

via Rede Cerrado

II Oficina de Territórios da Rede Cerrado contará com representantes de povos e comunidades tradicionais do Bioma que farão diálogo direto com governo e Ministério Público Federal

Em continuidade ao processo de debates sobre os direitos territoriais de povos e comunidades tradicionais iniciado no ano passado, nos próximos dias 08 e 09 de maio, a Rede Cerrado reunirá representantes de indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, geraizeiros, raizeiras, extratvisitas, entre outros povos tradicionais do Bioma, em Brasília (DF), para diálogo direto com o governo e Ministério Público Federal para debater perspectivas e traçar estratégicas conjuntas para os próximos anos.

Se em 2018 os diálogos deram luz a novas formas para a garantia desses territórios, agora estratégias serão pensadas e traçadas frente a conjuntura já estabelecida pela atual gestão federal.

O Cerrado, além de ser, atualmente, o Bioma mais ameaçado do Brasil, de acordo com dados do Caderno de Conflitos do Campo 2018, da Comissão Pastoral da Terra, foi a região que mais sofreu com a expulsão de famílias do campo. O aumento registrado de 2017 para 2018 foi de mais de 14 mil por cento.

Mesa de Diálogos com governo federal e MPF

Como parte da programação da II Oficina de Territórios da Rede Cerrado, na próxima quarta-feira, dia 08 de maio, ocorrerá uma mesa de diálogos com representantes da atual gestão do governo federal referente a temas, como: regularização dos territórios, políticas públicas e extinção das instâncias de participação social.

Além de representantes de povos e comunidades tradicionais do Cerrado, o ato contará com a presença e participação do professor e pesquisador Alfredo Wagner, de representantes da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF), e da procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat.

A atividade, intitulada como Mesa de Diálogos sobre Territórios Tradicionalmente Ocupados é ação conjunta entre a Rede Cerrado, o Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT) e o Ministério Público Federal, em conjunto com a Articulação em Defesa das Terras Tradicionalmente Ocupadas. A atividade será transmitida ao vivo pela TV MPF.

Já na quinta-feira, dia 09, os trabalhos continuam no Instituto Divino Mestre, também em Brasília, com o objetivo de integrar ações e fortalecer estratégias conjuntas com outras organizações e coletivos.

Assembleia Geral da Rede Cerrado

Na próxima semana, nos dias 06 e 07 de maio, a Rede Cerrado também realizará sua Assembleia Geral cujo missão será eleger a nova coordenação geral da entidade para os próximos três anos. Na oportunidade, estarão presentes representantes das organizações associadas à Rede Cerrado.

Assembleia Geral da Rede Cerrado realizada em maio de 2018/Acervo Rede Cerrado.

 

A Rede Cerrado

Composta por mais de 50 entidades da sociedade civil associadas, a Rede Cerrado trabalha para a promoção da sustentabilidade, em defesa da conservação do Cerrado e dos seus povos. Indiretamente, a Rede Cerrado congrega mais de 300 organizações que se identificam com a causa socioambiental do bioma.

Somos representados por indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, vazanteiros, fundo e fecho de pasto, pescadores artesanais, geraizeiros, extrativistas, veredeiros, caatingueros, apanhadores de flores Sempre Viva e agricultores familiares.

A Rede Cerrado também atua estrategicamente em diversos espaços públicos socioambientais para propor, monitorar e avaliar projetos, programas e políticas públicas que dizem respeito ao Cerrado e aos seus povos.

Veja matéria no site da Rede Cerrado!

Contato para imprensa e entrevistas
Assessoria de Comunicação da Rede Cerrado
Thays Puzzi
comunicacao@redecerrado.org.br
(61) 9 8116-4747 (WhatsApp)


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

New population of plateau dove was discovered in Cerrado

original text by Margaret Sessa-Hawkins / BirdLife International

In February 2019, the staff of SAVE Brasil (Representative of BirdLife in Brazil) began to hear exciting reports from members of the communities surrounding the Botumirim State Park in the state of Minas Gerais.

The community reported sighting of Columbina cyanopis (Critically Endangered), a species popularly known as a plateau, outside where the bird used to be found. The SAVE Brasil team was both excited and skeptical. One of the rarest birds in the world, the plateau roller was considered extinct for 75 years, before 14 individuals were seen in the wild in 2015. A new population, even small, would mean increased genetic diversity, and would also point to the possibility of more undiscovered individuals in nature.

On March 14, 2019, a team went looking for the birds. The birds were seen within the limits of the Botumirim State Park, about 5 kilometers from where the known population currently lives. The team searched the birds over five independent transects, playing call recordings to attract the birds.

After 45 minutes, the team search was rewarded. They spotted a pair of plateau doves while a nearby male sang. For the next three hours, the team spotted a fourth bird in the area. The sighting of the four new individuals represented a 26% increase over the previously known population.

Highland Roller. Photo: Ciro Albano / SAVE Brazil Collection

& #8220; Those working in nature conservation are generally very hardy, but it is difficult to look for rare species such as the plateau dove in a habitat that looks perfect for him and not find him there & #8221; says Marcelo Lisita, assistant After a year of looking at different locations without finding new individuals, it was with great excitement that we saw these few in a new area. ”

THE discovery of plateau dove was significant beyond its importance for the bird population. Since the discovery of the original population in 2015, SAVE Brasil has been working closely with neighboring communities to raise awareness about the bird. In early 2018, SAVE opened the reserve for visitors where birds are found. Since then, they have been working to try to ensure that communities benefit from ecotourism. Having a community member reporting a sighting shows that these outreach efforts are successful.

Despite the new population, the outlook for the plateau roller is still unclear, so SAVE is doing everything possible to increase the chance of survival of the species. In January 2018, with the support of Rainforest trust, the organization was able to buy a small plot of land where the bird was originally found, forming the Rolinha do Planalto Nature Reserve. Reserve visits are strictly controlled and need to be scheduled in advance through SAVE. On July 6 of the same year, the local government established approximately 36,000 hectares of protected land, creating Botumirim State Park, which overlaps the SAVE reserve and expands the total protected area.

Recent research on the turtledove has given us reason to be hopeful. So far, eight nests were found, although only one puppy ran away. With the discovery of the new population, the team also renewed its efforts to look for other places where the plateau can be found. Out of the four individuals reported by community members, they have had no luck, but they are not losing hope. There are still many places to visit.

THE SAVE Brasil execute the project Saving the plateau roller and its unique habitat in the Cerrado with support from Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fundand Brazilian International Institute of Education (IEB).


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

1st Meeting of Miranda-Bodoquena Corridor COMDEMAS

The project Union of Pro-Cerrado COMDEMAS, which is run by Neotropic Foundation of Brazil and has the support of Critical Ecosystem Partnership Fund (CEPF, Critical Ecosystem Partnership Fund) and International Institute of Education of Brazil (IEB), Its objective is to strengthen the Municipal Environment Councils (COMDEMAs) to support local decisions that contribute to the conservation of the Cerrado and to the achievement of global biodiversity conservation goals.

In order to empower the council on conservation issues in order to propose public policies aimed at the protection and conservation of the Cerrado, the Neotropic Foundation of Brazil will promote the 1st Meeting of Miranda-Bodoquena Corridor COMDEMAS, in day May 13, 2019 Starting at 8:30 am Bonito, Mato Grosso do Sul. For more information, please contact the Neotropic Foundation of Brazil!


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.

 

 

CEPF Cerrado will host partner meeting and expert meeting to discuss Fund and Cerrado

The Time de Implementação Regional do CEPF Cerrado (sigla em inglês para Crytical Ecosystem Partnership Fund) irá promover o encontro de parceiros e a reunião de especialistas, para discutir sobre o bioma, assim como as ações e impactos do Fundo no Cerrado. O evento acontecerá entre os dias 08 e 10 de abril, das 09h às 18h, na Fundação de Apoio para Pesquisa, Ensino, Extensão e Desenvolvimento Institucional (FINATEC), em Brasília (DF).

Este encontro tem o objetivo de apresentar resultados alcançados com o CEPF até o momento, dialogar sobre estratégias para conservação do Cerrado, celebrar resultados, promover a integração entre os participantes e fortalecer a conexão entre os projetos. Entre os convidados estarão os representantes das organizações que realizam projetos no âmbito do CEPF, especialistas de diversas áreas, membros do conselho consultivo e a diretora de subvenções do CEPF, Peggy Poncelet. Estima-se a participação de aproximadamente 70 pessoas ao longo destes 3 dias.

Para Michael Becker, coordenador da estratégia de implementação do CEPF Cerrado, “este será a oportunidade de pensarmos a na visão de futuro do CEPF no Cerrado, e ao mesmo tempo, uma grande oportunidade de interação entre os beneficiários dos projetos em andamento”.

Parceiros do CEPF Cerrado na capacitação oferecida em Brasília em novembro (2018). Foto Aryanne Amaral/Acervo IEB
Teams from IEB, CEPF, CI, ECOA, Neotropic Foundation of Brazil and WWF-Brazil.
Encontro com parceiros dos projetos que atuam na porção nordeste do Cerrado. Foto: Acervo IEB

 


The Critical Ecosystem Partnership Fund is a joint initiative of the French Development Agency, Conservation International, the European Union, Global Environmental Management, the Government of Japan and the World Bank. A key goal is to ensure that civil society is involved in biodiversity conservation.