Início » Notícias » Agricultores familiares do DF recebem capacitação para a coleta de sementes nativas do Cerrado

Agricultores familiares do DF recebem capacitação para a coleta de sementes nativas do Cerrado

Nos meses de maio e junho a Rede Bartô concluiu mais duas etapas do Componente de “Regularização ambiental do Assentamento Rural Roseli Nunes” – parte do projeto Agroflorestas Prestadoras de Serviços Ecossistêmicos.

Foto: Acervo Rede Bartô

A partir do mapa de uso e ocupação do solo, foi gerada uma base de dados que serviu para retificar os Cadastros Ambientais Rurais dos agricultores, adiantando bastante o processo de Regularização Ambiental do Assentamento. A regularização traz benefícios para os assentados como acesso ao crédito e programas de incentivo à produção.

O processo de restauração ambiental do Assentamento Rosely Nunes, está sendo construído de modo que todas as fases do processo possam ser internalizadas pela comunidade local para que faça sentido para eles. Foram trabalhadas nessa etapa questões sociais, mas principalmente econômicas, em torno das oportunidades do mercado de coleta de sementes de espécies nativas do Cerrado para os agricultores. Essa atividade é a continuidade de uma parceria entre a Rede Bartô, Tikré Soluções Ambientais, Rede de Sementes do Cerrado, o Fundo de Parceria Para Ecossistemas Críticos (CEPF Cerrado) e Instituto Internacional de Educação do Brasil.

Foto: Acervo Rede Bartô

As atividades contaram com a participação dos agricultores do assentamento, que coletaram mais de 16 kg de sementes de espécies nativas do Cerrado. Após a coleta, elas foram beneficiadas e armazenadas adequadamente. Posteriormente serão utilizadas para recuperar áreas do assentamento que foram degradadas.

“A ideia na outra ponta é empoderar os próprios agricultores da técnica de restauração ecológica por meio da semeadura direta, para que eles mesmos possam fazer o processo de restauração em outras oportunidades. Quem sabe até como profissão, gerando renda no futuro” diz Fabrício Lima, coordenador do projeto.

A atividade foi adaptada para seguir todos os cuidados de segurança e saúde, seguindo as orientações de prevenção ao coronavírus. A Rede Bartô elaborou um protocolo de segurança com medidas a serem adotadas pela equipe e pelos beneficiários para garantir a segurança de todos. Conheça o projeto Agroflorestas Prestadoras de Serviços Ecossistêmicos e a Rede Bartô!


O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Europeia, da Gestão Ambiental Global, do Governo do Japão e do Banco Mundial. Uma meta fundamental é garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade.

2 comments

  1. Maria Cleide says:

    Que maravilha as oportunidades que estão sendo oferecidas a essas famílias, e quão importante a recuperação para o nosso cerrado. Parabéns a todos que estão empenhados nesse projeto, com certeza a cerrado agradece e nós enquanto população, poderemos pensar num futuro melhor. E viva o nosso cerrado!

Deixe uma resposta para Maria Cleide Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *